Leão Lobo choca ao revelar detalhes de suruba com jovens no meio da rua

Leão Lobo
Leão Lobo surpreende ao falar sobre suruba que fez com jovens no meio da rua (Imagem: Reprodução / TV Gazeta)

Leão Lobo não faz questão de esconder nada sobre sua vida, inclusive se for relacionado à sua sexualidade. Assumidamente gay, o jornalista foi convidado por Ed Gama e Estevam Nabote para contar histórias pessoais interessantes, bem como da sua trajetória profissional.

Durante o bate-papo, o veterano relembrou detalhes de quando fez sexo grupal no meio da rua, em São Paulo.

Um dia eu saí de um espetáculo, fui para um restaurante, bastante conhecido por ser frequentado por muitos artistas. Quando acabei de jantar, um menino, que estava me observando desde quando cheguei, me aguardava para pegar um autógrafo. Eu dei e saí. Nisso, de madrugada, atravessei a Praça Roosevelt, em São Paulo, e conheci dois garotos, bonitos e tal. Após uma breve conversa ficamos no ‘vamos transar’, ‘vamos transar’, ‘mas você tem lugar?’, e aí decidimos fazer por ali mesmo”, disse, para em seguida revelar que a aventura aconteceu em 1979, após uma apresentação onde atualmente é o Teatro Bibi Ferreira.

O apresentador ainda explicou que escolheu uma rua bem escura, próximo da famosa praça, para ter relação com os jovens. “Aí, tinha uma rua escura, chamada Epitácio Pessoa. Foi ali mesmo que eu sentei na escadaria de um restaurante, que já estava fechado, e comecei a dar uns tratos nos meninos. Peguei [um pênis] de um lado, outro [pênis] de outro lado e fomos seguindo…”.

Porém, o que ele não esperava era que outra pessoa fosse surgir no momento “quente”. “De repente, eu levanto a cabeça, tava com o ‘negócio’ de um na boca, e quando olho, tinha uma pessoa me olhando. Quando olhei bem, percebi que era o tal do menino que tinha me pedido o autógrafo“.

Foi então que, surpreendentemente, Lobo chamou o jovem para participar. “Aí, eu olhei para ele e perguntei: ‘Quer um [pênis]?’. Ele foi e me disse que queria. Então, como eu nasci comunista, em uma família comunista, tem que doar até doer né?!”, detalhou, provocando uma gargalhada geral.

Confira:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

MAIS LIDAS

Elson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›