Léo Áquilla se diverte ao contar história constrangedora de ida ao urologista

Léo Áquilla
Léo Áquilla se diverte ao contar história constrangedora de ida ao urologista (Imagem: Reprodução / YouTube)

Léo Áquilla nasceu biologicamente homem, mas passou por essa transição de gênero e se tornou uma mulher transexual. Por não ter feito a cirurgia de redesignação sexual, ainda tem um pên1s e por isso precisa frequentar o urologista, por questões de saúde.

A aventura no médico começou na recepção, quando a recepcionista — que a reconheceu — informou que, por mais que Léo tenha conseguido mudar o nome nos documentos, em seu plano de saúde o nome masculino era o que estava no cadastro:

O médico saiu da sala e deu uma olhada antes, porque chamava os pacientes pelo nome. Ele era bem velhinho e eu pensando: ‘ai meu Deus, como é que eu vou mostrar minha neca pra esse médico?’. E aí a recepcionista me perguntou que nome eu gostaria que chamasse. E eu respondi que o meu, que é Leonora. E aí ela me disse: ‘Aqui no sistema ainda está Jadson, viu? E eu disse que já tinha trocado tudo, todos os bancos, certidão de nascimento, identidade, habilitação, tudo, só o plano de saúde que ainda não tinha conseguido”.

A atendente se mostrou solícita a avisar o conflito de nomes ao médico e orientou que a famosa corresse atrás dessa mudança. No entanto, ela entendeu inicialmente o fato do urologista a chamar de Jadson e riu da situação:

Quando eu vi o senhorzinho na porta eu pensei: ‘esse médico vai fazer uma cagada’. O consultório cheio e eu bem feminina e bem tranquila esperando. Daqui a pouco ele abre a porta: ‘Jadson Mendes’ [risos]. Eu só olhei pra menina da recepção e ela ficou bege. Levantei, respirei fundo e pensei: ‘Eu explico pra ele lá dentro, ele é um senhorzinho e vai entender’. E entrei”.

Mesmo assim, Léo Áquilla insistiu para ser tratado no seu gênero atual e pelo nome correto, mesmo com a vontade de levantar e ir embora, com essa sequência de negativas do profissional:

Caso o senhor não tenha percebido, eu sou uma mulher transexual’. E ele me disse: ‘Não, eu tenho que chamar pelo nome que está no sistema, você está em um urologista, mulher não vai em urologista’. Comecei a ferver por dentro e falei: ‘Doutor, o senhor poderia, por favor me chamar de Leonora e respeitar minha identidade de gênero? Não sou mais um menino. Agora sou uma mulher trans’(…) Respirei fundo pra tentar mostrar pra ele que o mundo mudou. Ele era formado desde 1960”.

Por fim, a ex-comentarista do programa A Tarde É Sua contou que a história acabou bem e que o médico sugeriu uma cirurgia de fimose, que tira excesso de pele da parte íntima que causou polêmica:

Como é bom você desarmar, ser humilde e engolir alguns sapos na intenção de informar. Porque posso dizer uma coisa? Foi a melhor consulta da minha vida. Eu nunca ri tanto com um médico como eu ri com esse. Quando ele percebeu o que era, ele começou a me tratar no feminino. E então eu fui explicar que era uma consulta de rotina, porque biologicamente eu sou um menino, então ele precisava dar uma olhada pra ver como é que está. Ele olhava para o meu peito e daí a coisa começou a mudar”.

Confira:

Matheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›