Luis Miranda confessa desejo de ser pai aos 51 anos

Luis Miranda
Luis Miranda deseja ser pai aos 51 anos (Imagem: Reprodução / Instagram)

O ator Luis Miranda, aos 51 anos, revelou que ainda pensa em ter filhos. A declaração veio à tona durante uma entrevista concedida ao canal de Astrid Fontenelle no Youtube.

Sempre falo da minha paixão que tenho pro crianças. É um lugar que ainda está guardado. Adiadinho assim. De ainda ajudar uma criança a se desenvolver, ter uma criança comigo para dar um futuro. É uma coisa que ainda penso muito. Acho que uma hora vai“, pontuou ele. Ela, em concordância, disse que ele será um ótimo pai.

Também na conversa, Astrid lembrou que, quando o filho Gabriel era mais novo, Luis conversava com ele se passando pelo Papai Noel. “Eu terminava e ficava com os olhos cheio de lágrimas. Daquele menino lindo estar ouvindo aquilo e deu eu poder alimentar o sonho nas crianças”, relembrou.

O famoso, que fez aniversário no último dia 15, falou ainda sobre amadurecimento: “Fiz cinquenta anos no final do ano passado. Eu acho que qualquer ser humano que se presa, quando chega numa determinada idade, tipo metade de um século, ele precisa se reavaliar como individuo, ele precisa dar uma olhada para a sua trajetória, ver os aspectos que o levaram até aquele lugar, onde que ainda está precisando dá uma consertada na sua vida… Essa autorreflexão é muito importante. E acho que essa reflexão começou no inferno astral para os 50 e foi se diluindo nesse momento de pandemia. Foi muito importante também esse encontro comigo. Eu já não era mais aquele moleque“.

Sobre o principal aprendizado durante a pandemia, ele contou que descobriu a capacidade de viver sozinho.

(Descobri) o quanto aquelas coisas supérfluas que a gente usa diariamente, o conforto do dia a dia que a gente achava que não vivia mais sem, como é possível a gente suportar isso com tranquilidade. Primeiro porque eu acho que há uma necessidade muito grande da gente nesse momento pensar muito no outro, e aí todas as outras coisas acabam ficando muito em segundo plano. A adaptabilidade por exemplo. Eu sou um cara que depois da pandemia eu comecei a viver melhor, comer melhor e fazer as coisas melhor. Porque eu fiquei numa casa sozinho, completamente isolado, plantando, colhendo, acordando cedo. E eu não achava que eu conseguia sobreviver sem a loucura do mundo moderno. E eu sobrevivi. E muito legal ainda porque eu não cedi a nenhum dos confortos da pandemia, nem quis ficar imerso nas lives. Eu preferi viver para dentro“, refletiu.

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Elson BarbosaElson Barbosa
Jornalista, especialista em Comunicação Organizacional, apaixonado por café, crônicas e um bom papo. Encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo.
Veja mais ›