Médica anti-Bolsonaro dá entrevista à CNN Brasil e é atrapalhada por gatinho

CNN Brasil
Gatinho da médica Luana Araújo rouba a cena ao vivo na CNN Brasil (Imagem: Reprodução / CNN Brasil)

A médica infectologista Luana Araújo, a mesma que calou vários senadores governistas na CPI da Pandemia, foi entrevistada por Márcio Gomes no CNN Prime Time, da CNN Brasil, na última quinta-feira (19).

Ela, no entanto, ficou em segundo plano durante a conversa, isso porque o gatinho da doutora roubou a cena. Enquanto a profissional da saúde respondia de forma séria e mais didática possível as perguntas feitas pelo âncora da CNN Brasil, o gatinho ficou posicionado logo atrás dela.

O bichinho bocejou, se lambeu e minutos depois abandonou o local. Luana e Márcio não ficaram abalados com a presença do animal.

Na entrevista, a médica comentou sobre o aumento do número de idosos internados nas UTIs dos hospitais de São Paulo, a eficácia das vacinas e a iminente 3ª dose de reforço às pessoas do grupo de risco da Covid-19.

Anti-Bolsonaro

Luana Araújo ficou conhecida nacionalmente ao ser convidada para prestar depoimento na CPI da Pandemia, em Brasília. Ela usou o seu tempo na comissão para desmentir fake news do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de seus aliados na Câmara dos Deputados e no Senado.

Em seu depoimento, Luana deu detalhes da sua dispensa do Ministério da Saúde. “Foi uma questão bastante pesarosa. Eu trabalhei o dia inteiro nesse dia na tentativa de organizar a estrutura da secretaria. Nós já sabíamos da variante indiana na Argentina e eu estava tentando organizar isso”, recordou.

A declaração foi feita após uma pergunta feita por Randolfe Rodrigues, da Rede do Amapá: “No final da tarde eu fui chamada ao gabinete e achei que seria para discutir essas coisas, até porque eu tinha um acesso muito livre ao ministro. Quando entrei no gabinete ele me informou que optou pela minha nomeação, que não duvidava da minha capacidade técnica, mas que teria que abrir mão de mim porque a nomeação não teria sido aprovada”.

Em um dos momentos mais tensos da sessão, Luana afirmou que o uso de medicamentes sem eficácia contra a Covid-19 “é delirante, esdrúxula, anacrônica, contraproducente”.

Confira:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›