Monark dá opinião sobre liberdade nas redes sociais, é detonado e reage furioso

Monark
Monark opinou sobre a liberdade nas redes sociais (Imagem: Reprodução / YouTube)

Monark tem dado o que falar sobre suas opiniões sobre a liberdade de expressão nas redes sociais. No Twitter, após a decisão de plataformas excluírem uma live do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o youtuber disse que “opiniões não matam”.

“Opiniões não matam. Vai ver no necrotério se alguém teve uma crise aguda de opinião e morreu”, declarou o famoso, que apresenta o podcast Flow.

Num outro tuíte, ele exemplificou a sua ideia: “Ae galera, infelizmente tenho que comunicar, que meu amigo Estevam morreu, ele ouviu muitas opiniões ruins e contraiu opiniãonite, era jovem, mas o novos virus das opiniões assassinas está a solta e mais mortal do que nunca”.

“É a ação que faz o crime e não a opinião”, afirmou Monark, que ainda disse: “Vamos concordar em discordar! Apesar que alguns de nós não acreditar que podemos mais discordar”.

O youtuber também escreveu: “Querem criminalizar o pensamento. Muito perigoso isso. Autoritarismo começa assim”. Após dividir opiniões, Monark reagiu furioso com as críticas e até citou o presidente da República.

“Não estou defendendo o Bolsonaro, esquece esse merda. A discussão é vai muito além dele, é sobre liberdade de expressar as opiniões que possam ser considerada politicamente incorretas. Esse direito ao meu ver vem sendo limitado constantemente, o ponto é esse”, desabafou.

Ele completou: “Eu estou apontando um problema social de suma importância que é uma discussão no mundo todo. Mas se vocês preferem ignorar que cada vez mais grandes corporações e governos estão controlando o discurso público e invadindo nossa privacidade, fazer o que? Azar o nosso”.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›