Morre o ator Paulo José, aos 84 anos, no Rio de Janeiro

Paulo José
Paulo José morreu, aos 84 anos, no Rio de Janeiro (Imagem: Divulgação / Globo)

Um dos grandes nomes da dramaturgia brasileira, Paulo José morreu nesta quarta-feira (11), aos 84 anos, no Rio de Janeiro. O famoso estava internado há 20 dias e faleceu em decorrência de uma pneumonia. O ator deixa esposa e quatro filhos: Ana, Bel e Clara Kutner, de seu relacionamento com a atriz Dina Sfat, além Paulo Henrique Caruso.

O artista nasceu em Lavras do Sul, interior do Rio Grande do Sul, em 20 de março de 1937. Ele iniciou a carreira no teatro amador em Porto Alegre. No início dos anos 60, Paulo José foi morar em São Paulo e começou a trabalhar no Teatro de Arena, onde exerceu diferentes funções.

A sua estreia na Globo aconteceu na novela Véu de Noiva, de Janete Clair, em 1969. Seu primeiro grande personagem foi o mecânico-inventor Shazan, que formava uma dupla bem humorada com Xerife, personagem de Flávio Migliaccio, na novela O Primeiro Amor (1972), de Walther Negrão.

O sucesso da dupla foi tão grande que a emissora decidiu investir no seriado Shazan, Xerife e Cia., escrito, dirigido e interpretado por Paulo e Flávio entre 1972 e 1974.

O famoso ainda teve outros personagens marcantes como o comerciante cigano Jairo em Explode Coração (1995), de Gloria Perez, e o alcóolatra Orestes de Por Amor (1997), de Manoel Carlos.

Com mais de 60 anos de carreira, ele atuou em mais de 20 novelas e minisséries. Os destaques foram Roda de Fogo (1986), de Lauro César Muniz; Vida Nova (1988), de Benedito Ruy Barbosa; Tieta (1989), de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares; Araponga (1990), de Dias Gomes, Ferreira Gullar e Lauro César Muniz; Vamp (1991), de Antonio Calmon; O Mapa da Minha (1993), de Cassiano Gabus Mendes; Agora é Que São Elas (2003), de Ricardo Linhares, escrita a partir de uma ideia original do próprio Paulo José; Senhora do Destino (2004), de Aguinaldo Silva; Um Só Coração (2004) e JK (2006), minisséries de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira.

Mesmo depois de descobrir o Mal de Parkinson, doença que o acompanhou por mais de 20 anos, Paulo sempre se mostrou ativo e também preocupado com a valorização do ofício de ator no Brasil.

Sua última aparição na TV foi como o vovô Benjamin na trama Em Família (2014), de Manoel Carlos. Na novela, Paulo José era o pai de Virgílio (Humberto Martins) e, como na vida real, seu personagem sofria de Mal de Parkinson.

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›