Musa do Penta, Fátima Bernardes brilhou em cobertura do Tetra na Globo

Fátima Bernardes
Fátima Bernardes em registro da Copa 1994; Globo reexibe final entre Brasil x Itália neste domingo (26) (Imagem: Reprodução / Instagram)

O Penta do Brasil, conquistado na Copa da Coréia do Sul e do Japão (2002), contou com Fátima Bernardes como musa. A então âncora do Jornal Nacional acompanhou os craques durante o torneio que rendeu a quinta estrela na camisa da Seleção Brasileira. O que muita gente não sabe, ou talvez não lembre, é que Fatinha também esteve presente na Copa dos Estados Unidos (1994), a do Tetra – cuja final, Brasil x Itália, a Globo reexibe hoje (26), às 16h.

Estou achando o máximo ir à Copa. Temos que acreditar na seleção. E espero que eu seja pé quente“, declarou Fátima ao jornal O Globo, de 6 de janeiro de 1994, tão logo soube de sua escalação para a cobertura. Até então, ela havia participado apenas de uma grande competição esportiva, a das Olimpíadas de Barcelona (1992), quando o Brasil levou medalha de ouro no vôlei masculino e com Rogério Sampaio no judô, além da prata de Gustavo Borges na natação.

Às vésperas do torneio, o jornal O Dia, de 12 de junho de 1994, detalhou o perfil da então apresentadora do Fantástico. “Fátima Bernardes é a camisa 10 do telejornalismo que todo editor pediu a Deus. Polivalente, ela não se limita a ler notícias no teleprompter, mas também apura, ajuda a editar e apresenta”, enalteceu a matéria assinada por Paulo Ricardo Moreira.

Durante a Copa, Fatinha dividiu o comando dos estúdios da Globo em Dallas com Carlos Nascimento, Fernando Vannucci e Pedro Bial. O Fantástico que ela apresentava – incluindo o exibido em 17 de julho, quando a Seleção Brasileira arrebatou o Tetra – ficou sob responsabilidade de Celso Freitas (hoje na Record) e da queridíssima Sandra Annenberg.

Cabe lembrar também de uma declaração de Fátima Bernardes sobre Ronaldinho, o Fenômeno, um dos mais jovens jogadores do Tetra. “Gostaria que o Brasil estivesse bem para ver o Ronaldo no time. Ele tem jeito de moleque, não sentiria o peso da camisa porque não teria nada a perder“, analisou em entrevista ao O Dia. Ronaldo, oito anos depois, foi um dos heróis do Penta.

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.

WordPress Lightbox