Nany People revela ter transado com um time de futebol inteiro e expõe detalhes

Nany People
Nany People diz ter feito sexo com um time inteiro de futebol (Imagem: Reprodução / Instagram)

Nany People nunca escondeu que o seu lado sexual é muito aflorado, mas uma revelação recente mexeu com a imaginação do público. A famosa confessou já ter transado com um time inteiro de futebol, em um hotel de São Paulo, durante a concentração dos atletas.

A declaração foi feita em sua entrevista ao podcast 4talk, no YouTube. A conversa descontraída foi comandada por Victor Sarro, Leo Dias e Cintia Chagas.

Vou falar uma coisa que eu nunca falei. Já peguei um time de futebol na concentração, com a calcinha de lado…”. Victor, então, entrou na conversa. “Ela estava em um hotel e um jogador a reconheceu. Ela levou o jogador para dentro do quarto… Aí apareceu outro, e outro, chamaram outro, aí veio o maqueiro, o massagista”, revelou, rindo. “Eu não sabia quem era, eu fui saber no outro dia que era um time de futebol”, disparou.

A atração pelos esportistas ficou ainda mais evidente quando ela revelou já ter namorado com três atletas do esporte mais amado do Brasil: “Dois do Corinthians, um do Palmeiras… Do São Paulo, eu fiquei amiga…”.

Tanta disposição surgiu após os 40 anos, quando se divorciou. “Virei pegadora, realmente, a viver o que não vivi nos meus 20 anos, aos 40 anos. Quando fiz 40… Fui casada sete anos quase, quando me separei, meu bem… Virei metralhadora. Pegava mesmo. E pegava bonito. Chegando no hotel para fazer show… Sabe aquele cara que pega mala?”, disse em meio a gargalhadas.

Ao ser questionada sobre ter relacionamentos com homens héteros, ela não se esquivou. “Só pego hétero. Nunca fui ativa na minha vida. Marquei a minha cirurgia aos 26 anos, mas com o pedido da minha mãe, não fiz. Ainda bem que não fiz porque acho que não teria chegado aqui. Não teria sobrevivido, eu acho. Há 30 anos, o processo era outro“, refletiu.

Agora, porém, tem aproveitado tudo o que tem direito. “Quando fiz a minha transição, deixei de ser drag e virei trans de verdade, deixei de fazer o meu peitinho de isopor e quadril de espuma, e fui lindamente viver a poção mulher que até então me resguardaram. Criei uma autoconfiança e maturidade também. Foi aí que aprendi que sexo é química e amor é matemática”, contou.

Confira:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Elson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›