Neymar tentava reatar com Bruna Marquezine na época de suposto abuso

Bruna Marquezine
Bruna Marquezine e Neymar foram namorados (Imagem: Reprodução / Instagram)

Neymar Jr voltou a causar polêmica após ser acusado de assédio sexual por funcionária da Nike, uma reportagem do norte-americano Wall Street Journal. O caso, porém, teria acontecido quanto ele estava com Bruna Marquezine.

De acordo com o jornal Extra, o episósio teria acontecido em junho de 2016, em Nova York, após uma festa que celebrava Michael Jordan e um novo tênis da estrela do basquete, justamente quando ele e Bruna estavam se reaproximando.

Dois meses depois do suposto ocorrido, eles já estavam juntos nas Olimpíadas de 2016. Há, inclusive, uma foto de um abraço dos dois na arquibancada do Maracanã, após uma vitória.

Ele, inclusive, dedicou a medalha de ouro da seleção brasileira nas Olimpíadas daquele ano para a então amada, enquanto usava na cabeça uma faixa com a frase “100% Jesus”, tentando provar para a atriz que havia amadurecido.

Já Bruna Marquezine, nessa mesma época, frequentava igrejas evangélicas com a amiga Leticia Almeida e fortalecia a amizade com a cantora gospel Priscilla Alcântara. O namoro oficial, porém, só foi reatado em dezembro daquele ano.

Na época, Neymar deu uma festa de réveillon na mansão de Mangaratiba, na Região da Costa Verde, e Bruna Marquezine marcou presença com a sua família. Eles tiveram novas idas e vindas em 2017 e se firmaram novamente no Réveillon.

Foi quando todos eles se reuniram em Fernando de Noronha e entraram 2018 juntos, finalizando definitivamente a relação e todos os vínculos em setembro do mesmo ano.

Ao se pronunciar sobre a nova polêmica, através de comunicado, o jogador declarou: “Neymar Jr. se defenderá contra esses ataques infundados caso alguma denúncia seja apresentada, o que não aconteceu até agora”.

A equipe do famoso ainda alegou que a Nike e Neymar se separaram por motivos comerciais.

O contrato multimilionário, segundo a reportagem, foi rompido em 2020 depois que a empresa começou a investigar uma acusação feita pela funcionária, que teve seu nome mantido em sigilo.

Na época, a Nike não havia revelado o motivo do fim do contrato com Neymar, com quem estava há oito anos.

De acordo com a publicação norte-americana, a funcionária disse a amigos e colegas da Nike em 2016 que o craque do PSG e da Seleção Brasileira tentou forçá-la a fazer sexo oral no quarto de hotel em que estava hospedado na cidade de Nova York.

Ela estava lá para ajudar a coordenar eventos e logística para Neymar e sua comitiva, de acordo com testemunhas, incluindo antigos e atuais funcionários da Nike, além de documentos obtidos pelo Wall Street Journal.

Em 2018, a suposta vítima do craque apresentou uma reclamação à Nike e descreveu o incidente ao chefe de recursos humanos e conselho geral da empresa. A mulher é uma funcionária de longa data da Nike e que ainda faz parte da empresa.

Segundo o jornal, no dia do suposto assédio, o grupo comemorou na boate Up & Down e, depois da meia-noite, na madrugada de 2 de junho, funcionários do hotel pediram à mulher e a outro funcionário da Nike que ajudassem Neymar, que parecia estar embriagado, a entrar em seu quarto.

Ela, então, relatou que, quando foi deixada por um curto período de tempo sozinha no quarto com Neymar, ele teria tirado a cueca e a teria tentado forçá-la a fazer sexo oral. Ela disse ainda que o famoso teria tentado impedi-la de sair do quarto e a perseguido pelo corredor do hotel enquanto ainda estava nu.

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›