No Limite: Gleici Damasceno coloca adjetivos nos ex-companheiros da tribo Calango

No Limite
No Limite: Gleici Damasceno coloca adjetivos nos ex-companheiros da tribo Calango (Imagem: Reprodução / Globoplay)

Gleici Damasceno foi votada pela maioria dos companheiros da tribo Calango e foi eliminada de No Limite, no programa exibido neste fim de noite de terça-feira (15). Ao ser entrevistada no Encontro, a campeã do BBB 18 falou sobre os que ainda estão na disputa pelo prêmio de R$ 500 mil.

Saiba tudo sobre No Limite na cobertura do RD1

A eliminada mais recente não quis tocar no assunto do affair com Kaysar Dadour, mas não deixou de frisar a cumplicidade que teve — e ainda tem — com ele, o chamando de parceiro:

Eu e Kaysar já éramos bem próximos e estamos mais próximos ainda. A gente já era próximo, e o No Limite acabou nos aproximando ainda mais. Temos conversado bastante. Ele é parceiro e muito agregador na tribo também… Corta muita lenha”.

Carol Peixinho, que deu o voto decisivo para a saída de Gleici, recebeu a placa de estrategista, que também se encaixou em Jéssica Mueller: “Assistindo, vi que em algumas provas ela não mandava tão bem, apesar de cada um ter os seus momentos. Acho que ela jogava bem”.

André Martinelli foi escolhido como dramático, especialmente em momentos de derrota e conseguiu entender que a discussão com ele pode ter contribuído para sua saída:

Às vezes ele não conseguia perder. Ele ficava muito indignado quando ele perdia e ficava se repetindo (…) Se o jogador saiu, não adianta ficar lamentando mais. A gente tem que jogar com quem estava ainda no grupo. Não conseguia elaborar as coisas”.

Gleici Damasceno ainda elogiou Paula Amorim, da tribo Carcará, especialmente sobre seu desempenho no programa: “Braba, segura muito a onda… Olhando da minha tribo, eu admirava pra caramba”.

Por fim, nessa conversa com Fátima Bernardes e Iza, a ex-BBB ponderou sobre o que contribuiu mais para a própria eliminação e ainda apontou sua maior dificuldade naquelas circunstâncias:

Acho que o pesou para a minha saída foi dar muito a minha opinião, ter exposto muito o meu jogo… deveria ter ficado mais quieta. Poderia ter sido um Portal falso, mas dessa vez não teve volta. O No Limite foi uma experiência incrível, que me trouxe muitos aprendizados. A primeira tempestade foi terrível, quase não aguentei. A fome não me pegava, o meu limite era mesmo o frio”.

Matheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›