Paloma Bernardi revela atitude que tomou para ser mãe no futuro e desabafa

Paloma Bernardi
Paloma Bernardi congelou os óvulos (Imagem: Reprodução / Instagram)

Com o sonho de ser mãe, mas não agora, Paloma Bernardi, que está com 36 anos, decidiu congelar os óvulos para poder programar bem a futura maternidade e não ficar com medo do famoso “relógio biológico”.

Em conversa com a Quem, a atriz falou sobre a decisão. “Meu desejo de ser mãe existe. É algo que eu quero viver, uma prioridade. Eu sou sempre super programada, organizada, planejada… e o tempo passando. Comecei a ficar preocupada com quando a maternidade aconteceria. Joguei para o universo e tive vários sinais. Faz um ano que venho pesquisando vários procedimentos, e conversei com uma vizinha que me apresentou os filhos dizendo serem os seus ‘Frozens‘”, brincou a famosa, falando sobre os bebês gerados a partir do congelamento de óvulos.

Namorando há três anos com Dudu Pelizzari, Paloma ainda explicou: “As coisas acontecem no momento certo, e eu tinha que estar preparada para passar por esse processo. Durante a pandemia, estou mais tranquila de trabalho e conseguindo me organizar pessoalmente, buscando meu autoconhecimento”.

Apesar de saber que o congelamento de óvulos não é uma garantia de maternidade, Paloma Bernardi pontuou: “Potencializar as chances de ter meus filhos me deixa mais tranquila, principalmente por ser de uma maneira saudável. Me traz uma independência”.

“São meus ‘Frozens’, minha descendência. Antigamente a prioridade da mulher era casar, ter filhos e cuidar da casa. Hoje temos outras prioridades profissionais e coisas à frente, mas isso não anula meu desejo de ser mãe. Só vou jogar mais para frente. Na hora certa isso vai acontecer”, garantiu ela.

“Estou focada profissionalmente, com projetos engatilhados e no início de um namoro. Hoje ainda faço um monte de trabalhos, como nos meus 20 anos. Não falta alguma coisa [para engravidar], é que não é o tempo certo pra mim. Já estou segura com o congelamento de óvulos, e nada impede de eu tentar naturalmente quando eu quiser“, completou.

Dr. Matheus Roque, especialista em reprodução humana, que acompanha Paloma, explicou: “O momento de congelar os óvulos está relacionado à chance de sucesso caso seja preciso usá-los. Normalmente, se considera que dos 30 aos 35 anos não há diferença na qualidade dos óvulos. Ovário é como se fosse um armazém, ou seja, o que a mulher vai ovular ao longo da vida já nasceu com ela”.

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›