PC Siqueira revela que vai pagar indenização a Eduardo Bolsonaro e explica o motivo

PC Siqueira
PC Siqueira falou sobre o pagamento de indenização a Eduardo Bolsonaro (Imagem: Reprodução – Instagram – Agência Brasil/ Montagem – RD1)

PC Siqueira usou o seu perfil do Instagram, nesta quarta-feira (23), para revelar que foi processado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e terá que pagar uma indenização de R$ 25 mil. Na rede social, ele lembrou o motivo do processo.

Segundo o youtuber, a polêmica teve início com um vídeo no YouTube em que ele teria ofendido o deputado federal. “Em 2018 eu fiz um vídeo que ofendeu Eduardo Bolsonaro, por falar boatos sobre um membro de seu corpo e também sua performance sexual”, declarou PC Siqueira.

“Enquanto esperamos nossas vacinas, fui processado e condenado a pagar R$ 25 mil para ele. Vou pagar hoje. Estou esperando chegar o boleto dele, que vai ser antes da vacina. Aceito qualquer doação para cobrir esse rombo. Não sou filho de presidente. Esse dinheiro fará muita falta para mim e minha família”, acrescentou o famoso.

O influenciador completou a legenda: “Acredite se quiser: isso é real”. Mostrando bom humor, ele ainda divulgou o seu PIX para que os seguidores lhe enviassem dinheiro.

No último dia 10 de junho, o deputado federal chegou a publicar em seu Twitter que PC Siqueira havia sido condenado a indenizá-lo em R$ 20 mil. “Perdeu em 1ª e 2ª instância. Decisão foi convertida em cumprimento de sentença”, disse ele, na época.

Em processo, o filho 02 do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o canal Maspoxavida continha “comentários e opiniões expondo sua intimidade sexual”.

O juiz já havia obrigado PC Siqueira que excluísse os vídeos, mas entendeu que as postagens “extrapolaram a crítica à atuação política e tocam direitos da personalidade” de Eduardo Bolsonaro, “em especial a sua honra e intimidade”.

Vale ressaltar que o influenciador chegou a cumprir a determinação para excluir os vídeos. Porém, em texto, Figueiredo afirmou: “No caso de pronto se percebe a ofensividade dos vídeos, ultrapassando a mera narrativa ou crítica, ridicularizando o autor, não como político ou por sua atuação pública, mas por fatos que, verídicos ou não, fazem parte de sua intimidade, podendo causar danos a sua vida privada”.

“Conclui-se que se cuida de postagens difamantes, que extrapolam os limites da liberdade de expressão, violando direito da personalidade do autor“, completou o magistrado na decisão.

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›