Quais as novelas de maior audiência do Canal Viva às 14h30, 15h30 e 23h?

Canal Viva
TOP 3 com novelas mais vistas do Canal Viva, nos três horários, traz clássicos dos anos 1980 e da última década (Imagem: Reprodução / Facebook)

No último dia 18, o Canal Viva completou 10 anos. Na ocasião, a coluna divulgou com exclusividade o TOP 5 de novelas mais assistidas na grade noturna do canal – 23h, 0h e 0h45. Agora, o Viva forneceu ao RD1 novos dados de audiência, compreendendo o TOP 3 de tramas mais vistas às 14h30, 15h30 e 23h. Integram a lista clássicos dos anos 1980 e folhetins originalmente exibidos na última década. Confira!

14h30

Canal Viva
Antonio Fagundes (Otávio) e Christiane Torloni (Dinah) em A Viagem (Imagem: Divulgação / Globo)

Novela mais bem-sucedida das 19h nos anos 1990, A Viagem lidera o ranking das 14h30. O texto de Ivani Ribeiro passou pelo Canal Viva em 2014. Na ocasião, foi recebido com ressalvas: previsto para 0h – hoje 23h –, acabou às 14h30 por conta dos protestos de determinada parcela do público, que considerava a trama relativamente “recente” e “batida” para uma faixa então destinada a títulos consagrados e pouco, ou nunca, reprisados.

Canal Viva
Ana Paula Arósio (Giuliana) e Thiago Lacerda (Matteo) em Terra Nostra (Imagem: Divulgação / Globo)

Terra Nostra (1999), de Benedito Ruy Barbosa, leva a medalha de prata do horário que a abrigou em 2019. O clássico das 21h estrelado por Ana Paula Arósio (Giuliana) e Thiago Lacerda (Matteo) também foi alvo de críticas, por ter rompido com a veiculação de folhetins mais antigos às 14h30 e por pintar no canal em sua versão internacional – problemas de direitos relacionados às músicas levaram o Viva a exibir a edição de 150 episódios feita para o exterior, frente 221 capítulos originais.

Canal Viva
Malu Mader (Cláudia) em Fera Radical (Imagem: Divulgação / Globo)

O bronze é de Fera Radical (1988), novela que Walther Negrão escreveu para às 18h, centrada na oposição de Cláudia da Silva (Malu Mader), a mocinha que desejava vingar a chacina dos pais e irmãos, e Joana Flores (Yara Amaral), responsável por tais execuções. Diferente das outras duas produções, ‘Fera’ não dava o ar da graça na telinha há quase três décadas, despertando a atenção dos mais saudosistas…

15h30

Canal Viva
Betty Faria (Tieta) em Tieta (Imagem: Divulgação / Globo)

Uma das tramas mais aguardadas pelos telespectadores do Canal Viva, Tieta (1989) deu o ar da graça em 2017, dividindo as tardes com Fera Radical. Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares responderam pela adaptação do romance de Jorge Amado, registro histórico das 20h. Betty Faria encabeçou o elenco, na pele da “cabrita” que, após ser escorraçada de Santana do Agreste, volta para levar o progresso à região e castigar quem lhe fez mal, caso da irmã Perpétua (Joana Fomm).

Canal Viva
Marcos Frota (Tonho da Lua) e Gloria Pires (Raquel) em Mulheres de Areia (Imagem: Divulgação / Globo)

Mulheres de Areia (1993), outro título de Ivani Ribeiro, bombou no Viva! Tal clássico foi exibido pelo canal em 2016, arrebatando a audiência – como fizera às 18h e em duas incursões pelo Vale a Pena Ver de Novo – com a oposição das gêmeas Ruth e Raquel (Gloria Pires), respectivamente interessadas no amor e na fortuna de Marcos Assunção (Guilherme Fontes). A ação chega ao ápice quando, após um acidente de barco, Tonho da Lua (Marcos Frota) induz Ruth a tomar o lugar da irmã malvada.

Canal Viva
Daniel de Oliveira (Luís Jerônimo) e Vanessa Giácomo (Zuca) em Cabocla (Imagem: Divulgação / Globo)

Assim como Ivani, Benedito Ruy Barbosa mobiliza o público do Viva. Cabocla (2004), veiculada ano passado, superou folhetins como História de Amor (1995) e A Gata Comeu (1985). Novela inspirada no romance de Ribeiro Couto que a Globo exibiu às 18h, Cabocla acompanha as paixões de Zuca (Vanessa Giácomo) e Luís Jerônimo (Daniel Oliveira) e de Belinha (Regiane Alves) e Neco (Danton Mello) – filhos dos coronéis, e inimigos, Boanerges (Tony Ramos) e Justino (Mauro Mendonça).

23h

Canal Viva
Adriana Esteves (Catarina) e Eduardo Moscovis (Petruchio) em O Cravo e a Rosa (Imagem: Divulgação / Globo)

O Cravo e a Rosa (2000), outra produção das 18h, lidera o TOP 3 das 23h. Estreia de Mário Teixeira e Walcyr Carrasco como titulares na emissora-líder, ‘Cravo’ bebeu na fonte de William Shakespeare e de Ivani Ribeiro. A base de O Machão (1974) serviu para fundamentar a trama de Julião Petruchio (Eduardo Moscovis) e Catarina Batista (Adriana Esteves), turrões demais para assumir o amor que sentiam um pelo outro.

Canal Viva
Susana Vieira (Branca), Gabriela Duarte (Eduarda) e Regina Duarte (Helena) em Por Amor (Imagem: Divulgação / Globo)

O êxito da segunda passagem de Por Amor (1997) certamente pesou na escalação deste clássico de Manoel Carlos para o Vale a Pena Ver de Novo. Fato é que o folhetim bateu recordes tanto em 2017 no Canal Viva, quanto em 2019 na Globo. O sacrifício de Helena (Regina Duarte), que deu seu filho vivo em troca do bebê morto de sua primogênita Eduarda (Gabriela Duarte), já havia sido exibido em 2010, na estreia do Viva, e foi resgatado por conta de seus 20 anos.

Canal Viva
Reynaldo Gianecchini (Edu), Carolina Dieckmann (Camila) e Vera Fischer (Helena) em Laços de Família (Imagem: Divulgação / Globo)

Laços de Família (2000), também de Manoel Carlos, foi o terceiro título mais visto do canal às 23h. Em cena, a Helena de Vera Fischer, que abre mão de dois amores em favor da filha Camila (Carolina Dieckmann): Edu (Reynaldo Gianecchini), por quem a mocinha se apaixonou, e Miguel (Tony Ramos), na tentativa de engravidar do ex Pedro (José Mayer) e salvar a vida da garota que lutava contra a leucemia. A novela foi exibida pelo canal de TV por assinatura em 2016.

CONTINUE LENDO →

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.