Real desvalorizado ou não? Globo e Record divergem sobre nova cédula de R$200

Globo
Para a Globo, nota de R$200 representa desvalorização do real e pode facilitar o crime organizado e a corrupção (Imagem: Reprodução – Fantástico / Globo)

O anúncio da nova cédula de R$200 feito pelo Banco Central na última quinta-feira (29) repercutiu de formas diferentes nos principais noticiários da Globo e da Record.

Na emissora líder de audiência, a nota do real foi apresentada no Fantástico como facilitadora do crime organizado e da corrupção. A reportagem usou como exemplo o caso dos R$51 milhões encontrados no apartamento do ex-deputado Geddel Vieira Lima para explicar que uma cédula de valor maior poderia diminuir o volume da quantia total e dificultar o trabalho da Polícia Federal.

Outras desvantagens apontadas pela revista eletrônica foram a desigualdade social, já que a metade mais pobre da população brasileira economicamente ativa sobrevive com uma renda mensal de R$ 158 e, provavelmente, nunca terá acesso à nova cédula, a desvalorização do real – a quantia de R$ 200 representa cerca de 1/3 de US$ 100, a nota mais alta da moeda americana, e a provável dificuldade dos comerciantes de rua para voltar troco para os clientes.

Já o Jornal da Record da última segunda-feira (3) convidou a comentarista de finanças Patrícia Lages no estúdio para rebater informações de que o lançamento da nova nota representa a desvalorização do real. Segundo a profissional, a cédula, que será ilustrada pelo lobo-guará, é “vantajosa” e corresponde a uma “providência do governo Bolsonaro para evitar a volta da inflação”.

“A gente tem que lembrar que imprimir dinheiro também custa dinheiro, então é mais vantajoso imprimir uma nota de R$200 do que duas de R$100 ou 4 notas de R$50. O que geraria inflação seria colocar mais dinheiro em circulação, mas o que o governo está fazendo é uma readequação”, explicou Patrícia.

Record
Para a Record, nova cédula representa só vantagens: menos notas imprimidas e uma reação do Governo contra a volta da inflação (Imagem: Reprodução – Jornal da Record / Record)
CONTINUE LENDO →

Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no danielribeiro@rd1.com.br.