Relíquias de Glória Perez, Maneco e Walcyr Carrasco integraram leilão da Manchete

Manchete
Lucélia Santos (Carmem) e José Wilker (Camilo) em Carmem; novelas da Manchete não despertaram interesse de compradores em leilão (Imagem: Reprodução / Tudo Isso é TV)

Uma matéria de Ítalo Bertão Filho para a revista piauí, do Grupo Folha, revelou detalhes do leilão da massa falida da Manchete realizado em maio por um site especializado. Não apareceram interessados no material que incluía coberturas de carnavais, infantis, musicais, noticiários, transmissões esportivas e toda a dramaturgia produzida pela emissora até 1995.

A falta de informações sobre o conteúdo e a qualidade das fitas – armazenadas em condições adversas por anos – foram apontadas como uns dos fatores do desinteresse pelo acervo. Assim como a dificuldade de explorá-lo comercialmente por conta dos imbróglios de direitos.

Conforme destacado por Ítalo para a piauí, Pantanal (1990) era a novela mais cara dentre as 15 oferecidas no leilão: R$ 357.672,04. Dona Beija (1986), trama que levou sensualidade às produções de época, foi oferecida por R$ 345.600,00. Também no Top 5, A História de Ana Raio e Zé Trovão (1990, R$ 265 mil), Kananga do Japão (1989, R$ 240 mil) e Carmem (1987, R$ 230 mil) – único enredo de Glória Perez realizado fora da Globo.

Corpo Santo (1987), Mania de Querer (1986), Guerra Sem Fim (1993) e Helena (1987) saíam por valores entre R$ 55 mil e R$ 60 mil. A primeira, desenvolvida por José Louzeiro, lançou o conceito “novela-reportagem”. A obra alertava para o avanço da criminalidade no Rio de Janeiro, inclusive no meio policial.

Seis folhetins foram oferecidos por cerca de R$ 30 mil cada: Antônio Maria (1985), primeira investida da Manchete no gênero; Amazônia (1991), tentativa de repetir o êxito de Pantanal; Novo Amor (1986), assinada por Manoel Carlos; Tudo ou Nada (1986), que ganhou versões no México e na Colômbia; Olho Por Olho (1989), que remetia a Corpo Santo; e 74.5 – Uma Onda no Ar (1994), da independente TV Plus.

O leilão também contou com minisséries. A pioneira Marquesa de Santos (1984) liderou o ranking, com R$ 298.060,30. Dois títulos puxados pelo sucesso da saga de Juma Marruá (Cristiana Oliveira), Escrava Anastácia (1990) e O Canto das Sereias (1990), foram ofertados por R$ 119 mil e 115 mil, respectivamente.

O pacote incluía ainda três trabalhos realizados por Walcyr Carrasco entre 1990 e 1991: Filhos do Sol e O Guarani, estrelada por Angélica, por mais de R$ 50 mil e Rosa dos Rumos por quase R$ 30 mil. Viver a Vida (1984), escrita por Maneco, era a mais baratinha: R$ 27.645,74. Os valores foram obtidos em documento do site Faro Online, no qual o leilão foi realizado.

Duh SeccoDuh Secco
Duh Secco é  "telemaníaco" desde criancinha. Em 2014, criou o blog "Vivo no Viva", repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.
Veja mais ›