Rita Guedes revela que está com sequelas após acidente de carro

Arcanjo Renegado
Rita Guedes relembra acidente de carro no Rio de Janeiro e cita sequelas (Imagem: Carlos Fofinho / Globo)

Rita Guedes ainda sente no corpo o reflexo do grave acidente de carro que sofreu no Rio de Janeiro, em setembro de 2019. Um ano e meio depois, a atriz relembrou o caso numa entrevista concedida ao apresentador Junior Coimbra, filho do ex-jogador Zico, no YouTube.

Durante o bate-papo, ela comentou que estava estacionando o carro na Barra da Tijuca quando foi atingida por uma van em alta velocidade. O seu veículo ficou completamente destruído.

Foi uma bobagem em que eu quase perdi a minha vida. Eu fui estacionar o meu carro, veio uma van voando e ela bateu do meu lado. Eu tive traumatismo craniano, hemorragia craniana e estreitamento da C3 e da C7, que encostou na medula. Então, assim, eu quase fiquei tetraplégica. Até hoje eu me trato. Faço fisioterapia há dois anos, faço RPG. Não posso ficar sem fazer porque eu sinto dores horríveis”, contou.

A artista confidenciou que o ocorrido mudou complemente sua forma de ver a vida: “Isso mudou muita coisa na minha vida também, porque naquelas 48 horas que eu fiquei na UTI, cheia de aparelho, esperando para saber: o cérebro reagir de uma maneira positiva, negativa ou eu morrer. Eram três opções. Então, naquele momento, para mim, passou um filme na minha cabeça. De tudo: da minha vida, do que eu tinha construído até hoje, do que é realmente importante para mim, do que eu quero, das pessoas que estão à minha volta…”.

Guedes explicou ainda que o processo de recuperação foi muito complicado e que ela tinha medo de morrer a qualquer momento:

O Paulo Niemeyer, que cuidou de mim, disse que eu tinha que ficar um mês sem andar muito porque o meu cérebro tinha chacoalhado muito. Eu lembro que eu dormia sentada, porque tinha medo de morrer. Foi uma viagem assim. Ao mesmo tempo, eu comecei a sentir uma coisa diferente. Eu tive uma transformação. Eu acho que isso deve acontecer muito com as pessoas que passam por um momento assim, em que você acha que vai morrer. E aí depois eu fiquei tão agradecida de ter passado por algo tão sério que eu poderia não estar aqui agora falando com você ou poderia estar numa cama, poderia ter perdido os meus movimentos”.

Confira:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Elson BarbosaElson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›