SBT e Patrícia Abravanel são denunciados por ativistas após polêmica com LGBTs

Patrícia Abravanel
Patrícia Abravanel vira alvo de denúncia após fala homofóbica no SBT (Imagem: Reprodução / SBT)

Duas denúncias foram feitas no sábado (5) contra o SBT – sendo uma delas também envolvendo Patrícia Abravanel – com acusações de crime de LGBTfobia. As ações foram protocoladas pelo Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero (GADVS) e a Associação Brasileira de Mulheres LBTIs (ABMLTBI).

A responsável pelas denúncias foi a advogada Luanda Pires, integrante dos dois grupos. Segundo ela, a primeira ação envolvendo apenas a emissora de Silvio Santos foi encaminhada à Secretaria de Justiça do Estado de São Paulo. Já a segunda, contra a apresentadora e a emissora, foi encaminhada como notícia-crime ao Ministério Público Federal.

Segundo o UOL, os grupos destacam as falas de Abravanel durante o Vem Pra Cá, que foi ao ar no último dia 1º. “A apresentadora afirmou que os gays precisam ‘compreender’ quem não os respeita, estimulando a ideia de que o crime de LGBTfobia deve ser entendido pelas vítimas“, destacou Luanda.

O documento também aponta que Patrícia teria debochado da sigla LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, queer, intersexo, assexual e demais orientações sexuais e identidades de gênero). “Isso, somado ao fato de afirmar que algumas pessoas escolhem sua orientação sexual, fomenta um discurso de ódio contra essa população“, afirmou a representante.

Pires destacou ainda que a liberdade de imprensa, questão que pode ser alegada pela emissora, não pode ser justificava para as declarações feitas pela famosa. “O pluralismo de ideias não é absoluto: fortalecer padrões de conduta que levam a opressão e a sujeição desta população fere o direito a vida“, argumentou.

Por meio das denúncias, os grupos esperam que, tanto o SBT quanto a apresentadora, respondam pelo crime de LGBTfobia. “Esperamos que os fatos sejam apurados, que haja retração e punição em forma de multas, que serão revertidas em prol de ações educativas em combate ao preconceito“, finalizou.

Para quem não lembra, durante o programa, Patrícia defendeu Caio Castro e Rafa Kalimann, que estavam recebendo críticas após compartilharem nas redes sociais um vídeo com falas homofóbicas de um pastor.

Abravanel tentou justificar a situação usando como base o fato de que muitas pessoas conservadoras ainda estão aprendendo a lidar com a diversidade, portanto, possuem o direito de ser intolerantes.

Eu acredito que nós mais velhos e educados com pais conservadores estamos aprendendo, mas acho que é um direito as pessoas respeitarem. […] Tudo é muito polemizado. Eu não acho que o Caio Castro e a Rafa Kalimann são homofóbicos, só foram educados de outra forma“, afirmou na atração.

Além da defesa, Patrícia ironizou a sigla da comunidade, a LGBTQIA+, a qual se referiu como “LGBBTYH” e “LGBTC”. “Eu acredito que o LGBBTYH, não sei, querem ter respeito, eles tem que ter respeito a quem tá aprendendo, tem que ter respeito e compreensão e não massacre“, opinou. A fala causou revolta na web.

AvatarDa Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›