Se Joga é um cadáver a ser sepultado e a Globo precisa reconhecer isso

Se Joga
O Se Joga é um erro que precisa ser reconhecido pela Globo (Imagem: Divulgação / Globo)

O alerta vermelho foi ligado para a produção do Se Joga. Caso não reaja nas próximas semanas, o vespertino corre o risco de deixar a programação da Globo, seja por um período de “férias”, seja em definitivo.

Há, ainda, quem defenda uma inversão entre o programa e a Sessão da Tarde, aliada a ajustes no formato: menos game e mais Vídeo Show. Aliás, a cada dia a defesa pela volta da clássica atração ganha novos apoiadores.

O Se Joga é um compilado de vários erros, e o maior deles é existir e persistir em sua manutenção no vídeo. Toda vez que a direção da Globo tenta produzir “inovações” do tipo acaba parindo coisas como Tomara Que Caia, Divertics, Adnight, Lazinho Com Você etc.

O clima de desconforto é visível no ar. Fernanda Gentil não consegue mais esconder que entrou numa grande furada, tal e qual Zeca Camargo quando tentou transformar o Vídeo Show em um programa da MTV em 2013. Erro crasso.

Embora a Globo mostre os dentes quando esta coluna ressalta o clima de marcha fúnebre em cena, o Se Joga está com os dias contados. E este colunista exerce o estado de paciência com afinco.

Na quarta-feira (4), o programa comandado pelo trio Gentil, Fabiana Karla e Érico Brás anotou 7,3 pontos de média, contra 10,0 da Record e 7,5 do SBT. Na quinta-feira (5), foram 7,0 pontos ante 9,4 da Record e 6,5 do SBT. É uma realidade inaceitável pela cúpula da Globo.

A produção do programa, que torce o nariz para a crítica em alguns momentos, precisa entender que o Se Joga foi concebido para devolver a liderança à emissora. Perder para as fofocas de Fabíola Reipert já é algo que acelera a calvície global. Ficar atrás dos desenhos do Bom Dia & Cia é caixão e vela preta. Ouçam a marcha…