Sérgio Loroza chora ao vivo na Globo e faz desabafo contundente

Sérgio Loroza
Sérgio Loroza fez desabafo contundente no Encontro (Imagem: Reprodução / Globo)

Sérgio Loroza não conseguiu segurar a emoção ao soltar desabafo sobre a sua participação como Astronauta do The Masked Singer Brasil, a Globo. No Encontro com Fátima Bernardes, hoje (29), o ator comentou sobre a experiência de viver um personagem tão marcante.

O artista ainda lembrou a emoção que sentiu no palco quando falou sobre sua representatividade: “Tem vários motivos que fazem eu me emocionar. Sou muito sensível, principalmente de manhã. Essa responsa que caiu no meu colo, nunca me achei capacitado para isso”.

“As divindades capacitam os escolhidos. Acabou caindo no meu colo, junto com a arte. Junto com isso veio uma responsabilidade social, eu não posso decepcionar essa galera. Eu sinto que estou aqui por eles. Quando a gente fala ‘é nóis’, é vem com nós”, afirmou o famoso.

Sérgio Loroza seguiu: “A gente precisa ter um mundo mais legal. No pós-pandemia é o momento de escolher qual tipo de sociedade que a gente quer. Não existe justiça sem equidade”.

O eliminado de ontem do reality de Ivete Sangalo ainda reforçou que precisamos estar atentos a todas as necessidades sociais: “Eu preciso também estar do lado da mulher, do LGBTQIA+, de quem precisa mais… Quem está mal precisa de mais atenção”.

Sobre a experiência no programa, o artista contou como enxergava por trás da fantasia: “Tinha uma visão parcial”. Ele ainda declarou o motivo sobre ter escolhido o astronauta como personagem:

“Isso vem desde criança… Eu nasci em 67, em 69 o homem chegou à lua… Eu queria ser ‘dirijor de foguete’ quando crescer. A galera da minha idade queria ser astronauta. Eu fiz química, não cheguei a me formar. Essa parada da ciência sempre me interessou.”

Ele ainda reforçou a representatividade da própria escolha de sua fantasia: “Pra gente que é preto, existe algumas dificuldades em imaginar. O primeiro homem negro a chegar ao espaço foi 1983, muita coisa. O primeiro homem brasileiro em 2006. Agora o primeiro homem negro brasileiro? Graças ao The Masked Singer, eu hoje sou o Afronauta. Estamos chegando”.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›