Suzana Alves surpreende e revela motivo de ter desistido da personagem Tiazinha

Suzana Alves explica por que decidiu muda rumo na carreira (Imagem: Reprodução / Divulgação)

Sucesso nos anos 90 com a personagem sensual Tiazinha, Suzana Alves fez parte do elenco do Programa H, comandado por Luciano Huck, na Band. A atriz decidiu conversar com seus seguidores e desabafou sobre o que a motivou mudar os rumos na carreira.

Ela revelou que o processo envolveu sua religiosidade e até mesmo a própria identidade: “Essa transição não foi nada fácil. Foi algo que até hoje eu trabalho. Mas não é só a transição da Tiazinha, é da vida, das curas de antes da Tiazinha. Eu tive uma vida antes e ser reconhecida hoje como Suzana e como eu sou e não com uma máscara da personagem é muito lindo e gratificante saber que toda a dor, tudo passou. É uma maravilha”.

Suzana afirmou ainda que, a princípio, aceitou o trabalho apenas pelo trabalho. “Eu não tive motivação nenhuma. Eu simplesmente fui fazer. Era só um programa piloto para ganhar dinheiro para ajudar a pagar a minha faculdade. Só isso. Não teve motivação, pelo contrário, eu tinha muito medo de meu pai me ver e me expulsar de casa. Então, não tive motivação, não. Só tive uma oportunidade que eu neguei três vezes até conversar com a minha mãe e até eu ter a ideia de colocar a máscara para me proteger e meu pai nem sonhar em me ver“, relembrou.

Segundo ela, com o reconhecimento, algumas questões básicas foram deixadas de lado e por isso tomou a difícil decisão de abandonar a fama. “Eu desisti de ser a Tiazinha porque eu não sabia quem eu era. Eu quis buscar a minha identidade. Eu fiz sucesso muito cedo e a personagem estava ficando maior que eu. A Suzana não tinha vida. Eu queria estudar e terminar a minha faculdade de jornalismo que estava trancada por conta do sucesso. Queria ter uma vida anônima de novo, sair, viajar, ter uma família de verdade“, explicou.

Não me arrependo de ter feito a Tiazinha por que tudo o que eu amadureci cedo, por isso falar que hoje eu tenho 42 anos e vivo muito bem comigo mesma. O arrependimento é algo necessário na vida da gente, a gente amadurece“, complementou.

Elson BarbosaElson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›