Suzana Pires sobe o tom ao expor opinião contra o DJ Ivis e internautas reagem

Suzana Pires
Suzana Pires detona DJ Ivis, após agressão à esposa (Imagem: Divulgação / Globo)

Bastou o DJ Ivis surgir aos prantos em um vídeo ao pedir perdão por ter agredido fisicamente a ex-mulher, Pamella Holanda, para Suzana Pires subir o tom e detonar a atitude do músico. Para a atriz, não há de se falar em perdão pelo crime que o levou a ser preso na última quarta-feira (14).

Aí ele chora e diz que nas imagens das agressões ‘não era ele’ e que ‘quem conhece ele, sabe’. Quanta falta de autenticidade, verdade e arrependimento real“, ironizou a artista ao legendar uma publicação em seu perfil do Instagram. “Assuma seu BO, seu agressor covarde“, disse em seguida.

Ela não parou por aí: “Mau caráter faz assim… Que a justiça seja feita. Chora mais que tá pouco, agressor covarde!“. As declarações foram expostos em cima de um print do vídeo em que o agressor surge chorando, após a repercussão das imagens das agressões contra a ex-mulher.

Cabe ressaltar que as falas dele atualmente destoam do primeiro posicionamento público, após a divulgação das gravações, quando chamou a ex-companheira de louca e a culpou pela violência praticada.

“O perdão não é para nós, será para a mulher que confiou em você e para a sua filha, seu porco!“, disse Suzana, complementando: “Quero ver ser forte na cadeia“.

Outra famosa que saiu em defesa de Pamella foi a cantora Pocah. Tudo começou quando a morena discordou fortemente do fato de Tirullipa ter defendido um futuro perdão ao agressor. A ex-BBB rejeitou a ideia trazida pelo filho de Tiririca, mas mostrou empatia ao não atacá-lo: “Quem perdoa é Deus. Eu já perdoei agressor e o que eu recebi em troca? Mais porrada. Eu entendo o pensamento do Tirullipa porque eu também já pensei assim”.

Na sequência, a funkeira falou mais sobre esse seu pensamento antigo e deu uma cutucada nas pessoas que apelam à religiosidade para se manter num relacionamento tóxico:

Achava que iria transformar a pessoa que me agredia, até porque meu agressor dizia que estava sendo usado pelo diabo e que não queria me agredir e me chutar numa escada quando eu estava grávida de sete meses ou quase me cegar do olho esquerdo. Eu achava que toda aquela humilhação era um testemunho para no futuro para dizer: ‘Deus mudou minha vida e restaurou a minha família’. Eu acreditava, juro”.

A cantora relatou que um ex-namorado a agrediu e não citou nomes, usando como exemplo para explicar porque prefere ignorar totalmente as pessoas como o DJ Ivis e porque vê as reconciliações como perigosas:

Ele não parava. Fez com mulheres antes de mim, e com outras depois de mim. Quando essa mudança vai ocorrer? Quando a pessoa quiser essa mudança verdadeiramente. Eu acredito, sim, que Deus transforma, mas [quero ficar] bem longe, sem ouvir falar ou consumir o trabalho dessa pessoa. Todo mundo merece uma segunda chance, mas para mim, a chance de um agressor é ainda estar vivo e pagar pelo o que causou na mente e no corpo de uma mulher que nunca mais vai esquecer o pesadelo que é sofrer a violência doméstica”, concluiu.

Elson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›