The Voice Brasil peca na gestão e desprestigia cantores com cortes desnecessários

The Voice Brasil
The Voice Brasil foi apresentado por Tiago Leifert nas 10 temporadas e está prestes a ser substituído por André Marques (Imagem: Divulgação / Globo)

O The Voice Brasil já revelou grandes nomes da música e a 10ª temporada já finalizou a fase das audições às cegas. Apesar de todo talento e entretenimento exibido às terças e quintas-feiras nas noites da Globo, o programa tem pecado na gestão e deixado muitos cantores desprestigiados.

Carlinhos Brown, Claudia Leitte, Iza e Lulu Santos foram os técnicos principais e tiveram o direito de selecionar 18 vozes para seus times. Michel Teló atuou como um salvador dos rejeitados e pescou 5 candidatos, totalizando 77 músicos. A dinâmica nova pode parecer fresca, mas na verdade só ampliou um problema gritante da edição.

Pela primeira vez na história do reality show, nem todos os cantores estão sendo mostrados na Globo. Além dessa falta de prestígio com os telespectadores, com flashes de pouquíssimos segundos, os 24 artistas nem foram incorporados à playlist oficial do The Voice no Globoplay — estando apenas no Gshow — dificultando o acesso do público a essas vozes.

As audições foram divididas em apenas 4 episódios — dois a menos que o habitual — deixando o programa corrido e sem espaço para se curtir com calma. O problema pode persistir já que a próxima fase  —o tira-teima, apresentado agora por André Marques, substituindo Tiago Leifert — só terá 3 episódios para 77 vozes, dando a entender que mais cortes vêm por aí.

Assim sendo, perde-se a linha temporal e tira dos fãs do The Voice a oportunidade de escolher seus favoritos com justiça. Os cantores “esquecidos” certamente podem se arrepender de estar nessa temporada, já que a tão sonhada exposição foi transformada num apagamento, devido a um erro de planejamento da Globo.

Vale lembrar que Teló tem “pegueis” ilimitados na fase de batalhas, que vem depois do tira-teima e terá quatro episódios, certamente dificultando que o número de participantes da competição musical seja equilibrado a ponto de todos aparecerem. Falta reinvenção, num programa já desgastado pelo tempo.

MAIS LIDAS

Matheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›