Vencedora do prêmio Melhores do Ano RD1, Daphne Bozaski fala sobre o sucesso de Dolores

Daphne Bozaski
Daphne Bozaski abriu o jogo sobre o sucesso da sua personagem (Imagem: Divulgação / Sérgio Baia)

Na reta final da novela Nos Tempos do Imperador, da Globo, em que vive Dolores, a atriz Daphne Bozaski comemora o sucesso de sua personagem e fala sobre o trabalho que a fez conquistar o prêmio Melhores do Ano RD1 na categoria atriz coadjuvante.

“Para mim, fazer a Dolores hoje, é mostrar um contraponto de como nossa luta por nossa voz e direitos já avançou muito, mas também abrir uma reflexão para analisarmos o quanto ainda temos que falar sobre a valorização da mulher”, disse a artista.

Enquanto não entra de cabeça em mais um projeto, a mãe do pequeno Caetano se dedica à maternidade e à vida pessoal e conversou com exclusividade com o RD1.

Veja Também

RD1 – Quando a pandemia começou, você já se preparava para gravar Nos Tempos de Imperador. Com essa pausa nas gravações – e no mundo – como você usou o tempo a seu favor? Focou no estudo da personagem, na história ou também aproveitou para aprimorar outros conhecimentos?

Daphne Bozaski – A “pausa” foi um grande susto, acho que todas as pessoas demoraram para se organizar e entender como seriam seus próximos passos em meio a uma pandemia tão desconhecida.

Como estava para começar a preparação da novela, tentei não me distanciar do projeto, e sempre via ou lia algo a respeito da época. Porém, com o tempo, fui aproveitando também para fazer coisas que, na correria do dia dia de trabalho, não conseguia fazer, como focar numa boa alimentação, fazer exercício diariamente e, claro, focar muito na maternidade, pois o meu filho Caetano estava com 1 ano e meio na época, demandando muito diariamente.

Foi um momento também de se dedicar mais à maternidade? Isso mudou a sua relação com Caetano?

Com certeza vivemos momentos únicos, que se estivéssemos trabalhando, não teríamos vivido daquela maneira. Mas colocando na balança, preferiria mil vezes poder mostrar o mundo para ele, e ter o convívio com outras pessoas e crianças … Acho que essa reclusão não é positiva para ninguém, foi um período em que tivemos que tirar coisas boas de um momento tão triste e nebuloso. Mas se pudesse optar, preferiria estar trabalhando e criando meu filho.

Nos Tempos do Imperador é o seu primeiro trabalho de época e que vem logo depois do sucesso de Malhação e da Benê. Para uma atriz, imagino que seja um grande desafio interpretar personagens tão diferentes. Como está sendo pra você esse mergulho na Dolores? O que ela trouxe pra você de aprendizado da história do nosso país?

Acredito que muitas mulheres ainda irão se reconhecer em Dolores. Nos tempos atuais, presenciamos mulheres sendo silenciadas pelo machismo e sendo injustiçadas com condutas ultrapassadas, apesar do grande avanço de diálogo sobre o feminismo. Para mim, fazer a Dolores hoje, é mostrar um contraponto de como nossa luta por nossa voz e direitos já avançou muito, mas também abrir uma reflexão para analisarmos o quanto ainda temos que falar sobre a valorização da mulher.

Com Benê e com Dolores você precisou entrar fundo em universos até então desconhecidos. Aprender a se colocar de forma diferente, com novas entonações na voz, realizar um trabalho corporal intenso, trabalhar sotaques. Fala um pouco sobre essa preparação da atriz, no que você se inspira, onde busca recursos para encontrar essas personagens dentro de você.

Para criar uma personagem, me inspiro muito em imagens relacionadas ao tema da trama. Músicas também me acompanham para chegar nas emoções das cenas, para cada personagem, crio uma playlist. Gosto muito de ver filmes ou séries que possam me trazer ideias, mas evito quando é algo muito parecido com a personagem, pois o cinema é algo que marca muito nosso imaginário, e gosto sempre de tentar algo novo, não gostaria de fazer algo parecido com uma personagem de outra pessoa. A não ser que seja proposital.

Em entrevista ao jornal Extra você disse “vejo a história da minha personagem com muitas possibilidades de reflexões sobre a vida da mulher naquele tempo”. Como você vê a vida da mulher nos tempos de hoje? Com toda a evolução pela qual já passamos, acha que a mulher ainda é vista como naquela época?

Não, acredito que já avançamos muito na nossa luta diária por respeito. Mas vejo que colocar nossos direitos em qualquer lugar onde vamos é algo que, diariamente, temos que validar.

As Five terá uma nova temporada, certo? Você já está envolvida nesse projeto novamente ou está totalmente focada na novela? Se sim, como é se dividir entre Benê, Dolores e Daphne?

Agora, digo que estou na entressafra, entre o fim da novela e começo de As Five. Então, atualmente, estou focada mais na minha vida pessoal.

Mais uma parceria com Gabriela Medvedovski e Heslaine Vieira. Isso ajuda no desenvolvimento da trama e da personagem ou em alguns momentos se confunde com Benê, Keyla e Ellen?

Conhecemos e respeitamos a forma de cada uma trabalhar, isso é reconfortante e ajuda muito ao fazer uma cena estar com alguém que você já tem essa intimidade. Nossas personagens e tramas são bem diferentes das personagens de Malhação. Foi muito bom poder criar uma nova relação ao contracenar com essas atrizes que tanto admiro, porém com outras personagens.

Qual o balanço que já faz da novela e de seu personagem? Como tem sido a relação com o público?

O público tem um grande carinho pela Dolores desde a primeira fase, onde ela foi interpretada pela Julia Freitas. Foi muito desafiador conseguir manter a essência, as intenções que justificam a personagem estar onde está quando entro na novela. Percebi que o público acredita nessa transição, e isso foi de grande importância para dar credibilidade à história. Estou muito feliz com a repercussão, ainda mais agora, que entrou o Nélio e reviravolta da personagem.

Como recebeu a notícia da indicação e do prêmio Melhores do Ano RD1? Tem um gostinho especial saber que foi eleita por voto popular e concorrendo com outras grandes atrizes?

Recebi a notícia pela internet, tenho alguns fãs clubes que me atualizam de tudo, inclusive, deixo aqui um grande beijo e agradecimento por todo carinho. Fiquei muito feliz com o resultado, e de estar concorrendo com outras atrizes que tanto admiro.

Quais os próximos projetos?

O próximo projeto será as duas temporadas de “As Five” que devemos gravar no primeiro semestre do ano que vem, em São Paulo.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

MAIS LIDAS

Fernanda Menezes Côrtes
Fernanda Menezes Côrtes é jornalista, com mais de 20 anos de experiência em assessoria de comunicação, sendo os últimos onze anos voltados ao mundo do entretenimento e da televisão. Trabalhou na comunicação da Globo e do Canal Viva e como assessora de artistas.
Veja mais ›