Vídeo de Leda Nagle traz à tona revelação bombástica sobre Bolsonaro

Leda Nagle
Leda Nagle é exposta em vídeo envolvendo a verdade sobre o trabalho do presidente Jair Bolsonaro na pandemia (Imagem: Reprodução – SBT / Montagem – RD1)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) arquitetou o plano de infectar 60% da população brasileira com a Covid-19. Quem revelou detalhes da ideia do “capitão” foi o deputado federal Ricardo Barros, atual líder do governo na Câmara. Ele expôs a intenção do governo federal em entrevista à Leda Nagle.

Em 18 de maio de 2020, a jornalista fiel ao governo disse que a imprensa do país “tem mania de comparação” e exemplificou: “‘Ah, morreu mais gente no Brasil do que na Bélgica’. Claro, a população é totalmente diferente numericamente falando. Essas comparações, quando elas são rápidas e desatentas, elas podem fazer muito mal”.

No bate-papo, Ricardo tomou a palavra e soltou argumentos fora do contexto científico. “Muitas vezes são maldosas mesmo. São desinformações e tentativas de convencer a população de que o desastre é muito maior do que é verdadeiramente”, declarou. “O presidente Bolsonaro também acha isso”, completou Nagle.

Foi quando o político deixou claro que o presidente vê como ideal “enfrentar o vírus” e não “correr do vírus”. Bolsonaro já falou sobre o assunto, mas nunca havia mencionado números ou metas para a infecção da população:

“O presidente Bolsonaro acha que os problemas que enfrentaremos pela crise econômica serão muito maiores do que enfrentaremos pela crise de saúde. O ideal seria o enfrentamento do vírus e não correr do vírus. Nós estamos tentando fugir do vírus e ele tá pegando igual, então ele queria enfrentar o vírus, manter, alcançar logo o pico da curva para que haja 60% da população infectada com anticorpos e aí acaba a epidemia”.

Sem contar com as variantes, o número maior de casos e mortes, Ricardo Barros continuou: “Quando o vírus começar a encontrar tantas pessoas que não são receptivas, pois já tem anticorpos, ai acaba a propagação. Não vai acabar antes de infectar 60% das pessoas”.

“E se a gente levar um ano para infectar 60% das pessoas, nós vamos ficar um ano com uma crise econômica e depois para recuperar vai ser tudo muito mais difícil. É salvar vidas ou salvar a economia? São as duas coisas”, afirmou.

Confira:

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›