Vilão de O Salvador da Pátria, novela de 1989, faz lembrar políticos de 2021

O Salvador da Pátria
Luís Gustavo (Juca Pirama) em O Salvador da Pátria; novela de 1989, em reprise no Canal Viva, reflete país de hoje (Imagem: Bazilio Calazans / Globo)

A reprise de O Salvador da Pátria (1989) vem agitando as redes sociais por conta do radialista Juca Pirama. O personagem de Luís Gustavo na trama que o Canal Viva reapresenta de segunda-feira a sábado, 14h15 e 0h30, usa do microfone para intimidar poderosos. Embora pareça aliado do povo, Juca é a personificação do que tanto critica.

Exposto por Marina Sintra (Betty Faria) e pelo jornal de Tangará, ele reage através de seu programa na Rádio Clube. Questiona “a imprensa livre” que calunia “um homem de bem” e pede “censura rigorosa aos jornais e todos os meios de comunicação”.

Atento à movimentação de Pirama, Hermínio (Benjamin Cattan) demonstra preocupação. Tanto pela velocidade com a qual o radialista reúne forças junto ao povo, quanto pelo inexplicável enriquecimento. A ascensão da extrema-direita preocupa a todos.

O tipo em questão remete, conforme a web pode constatar, às figuras que estão hoje no centro do poder. Spoiler: para alívio dos desafetos, e sorte do povo de Tangará, Juca Pirama sai de cena na próxima semana. Um tiro põe fim à vida do vilão, envolvido também com tráfico de entorpecentes – sendo capaz de mandar o irmão João (José Wilker) para a cadeia em seu lugar e assediar a cunhada desamparada, Ângela (Lucinha Lins).

Essa notícia faz parte da edição deste sábado (24) da coluna Curto-Circuito, assinada por Duh Secco e Daniel Ribeiro e publicada de terça a sábado no RD1. Clique aqui e leia a íntegra da coluna.

Duh Secco e Daniel RibeiroDuh Secco e Daniel Ribeiro
A coluna Curto-Circuito é assinada por Duh Secco e Daniel Ribeiro, editor-assistente e repórter especial do RD1, respectivamente, e reúne, de terça a sábado, logo cedinho, o que é e vai virar notícia nas próximas horas envolvendo os movimentados bastidores da TV.
Veja mais ›