Walcyr Carrasco admite uso de clichês e se blinda de acusações de plágio

Walcyr Carrasco
Em live, Walcyr Carrasco deu detalhes sobre a criação de suas novelas (Imagem: Divulgação / Globo)

Atualmente escrevendo a continuação da novela Verdades Secretas, que será transformada em uma série de 50 episódios para o Globoplay, Walcyr Carrasco participou de uma live no Instagram com o terapeuta espiritual Felipe Boni na última terça-feira (26) e revelou, entre muitos outros assuntos, como se blinda de acusações de plágio.

O autor admitiu que se recusa a ler relatos de vida ou sugestões de histórias que são enviados por seus leitores, muitas vezes, de forma oportunista.

“Um monte de gente me escreve falando: ‘Eu tenho uma história de vida que daria uma novela’. E eu não respondo, não quero ver. O que se pode decorrer de problema, é muito grande. Hoje em dia com o digital, se a pessoa me conta, ela vai provar que ela me contou. [Isso] virou uma caça ao tesouro”, desabafou Walcyr.

O dramaturgo também defendeu a tese de que existem poucas histórias originais no mundo, e que as estruturas dessas histórias sempre se repetem. “A pessoa chega pra mim e fala: ‘Eu tenho uma ideia maravilhosa, fantástica, dois irmãos que se apaixonam pela mesma mulher’. […] Se um dia eu escrever isso, ela vai dizer que foi sua ideia. Então o que eu faço? Eu não ouço e não procuro a história de vida de outras pessoas”, revelou.

Carrasco usou o exemplo de novelas espíritas, como Alma Gêmea (2005), de sua autoria, para explicar a repetição desses recursos. “Histórias de reencarnação… A pessoa morre e reencarna para resolver o problema, seja amoroso, seja financeiro. Todas as histórias de reencarnação são muito parecidas, por exemplo”, admitiu.

Questionado sobre o dia a dia de trabalho com seus colaboradores, Walcyr se recusou a dar detalhes. “Eu trabalho com equipe mas prefiro não falar sobre isso, porque eu trabalho de uma forma muito pessoal e é difícil explicar. As pessoas acham que a gente trabalha como uma redação de jornalismo, em que se distribui as matérias. Eu tenho um método pessoal de trabalhar e tenho uma equipe que está comigo há muitos anos”, se limitou a dizer.

CONTINUE LENDO →

Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no danielribeiro@rd1.com.br.

ALERTAS GRATUITOS