Zezé Motta rebate fala polêmica do presidente da Fundação Palmares

Zezé Motta
Zezé Motta comentou sobre declaração de Sérgio Camargo (Imagem: Reprodução / Globo)

Zezé Motta usou o seu perfil no Instagram, nesta terça-feira (16), para dar uma resposta ao presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo. O bolsonarista causou polêmica ao disparar contra a atriz e o cantor Djavan.

Na segunda-feira (15), ele usou uma foto dos famosos para criticar o movimento “Imagine a dor, adivinhe a cor”, contra violência policial.

Além de compartilhar as imagens, o presidente da Fundação Palmares ainda declarou: “Não existe nenhuma dor (angústia) exclusiva e específica dos negros por causa da cor de pele. Quem acredita nisso é racista ou um completo imbecil“.

Sérgio Camargo também escreveu: “Pretos vergonhosos estes aí de cima”. Zezé, então, reagiu: “Fui chamada junto do Djavan, de ‘Pretos Vergonhosos’ pelo atual Presidente da ‘nossa’ Fundação Palmares. O paraíso meu povo, realmente não é aqui não”.

“Ao Sr. Sergio Camargo… Uma dor ancestral. Existe sim! Uma ‘dor ancestral’ de todo povo negro/afrodescendente, que continua vigente, que ‘nós os não alienados’ resistentes, que lutamos por um país, por um mundo melhor, sem desigualdades, sem alienados que ocupam cargos extremamente significativos nas Instituições que só nos dizem respeito, que são de extrema importância para a história do nosso povo”, disparou a famosa.

A artista ainda afirmou: “Para que possamos ter pleno conhecimento de tudo que faz parte da nossa trajetória de dores e conquistas. O ato de um ‘alienado’, compactuar com o aviltamento de artistas que sempre lutaram pela preservação e o respeito à nossa história e às nossas referencias, nos leva a resistir ao fato da nossa Fundação Palmares, estar sob a sua tutela”.

“Pretos vergonhosos? Somos nós que lutamos todos os dias para que a ‘nossa’ Fundação Palmares, continue com a filosofia, ideologia e a linha de ação política implantada, que tanto lutamos para que fossem instauradas”, acrescentou Zezé Motta.

Disparou poucas e boas

A atriz, que nessa semana foi a convidada do Roda Viva, da TV Cultura, ainda disparou em seu perfil do Twitter:

“Temos sim, uma dor ancestral, uma luta que, pelo visto, não vai acabar tão cedo, devido a ‘contribuição nefasta’ de certos tipos, que só contribuem para um retrocesso que só interessa ao jogo da podridão que só favorece aos jogos de interesses”.

“Lutamos por um país melhor, sem dores, sem angustias, sem desesperos, sem monopólios dos ‘despreparados’ que não respeitam as ‘dores’ diárias do nosso povo tão ‘doido’, tão sofrido e machucado pelos alienados que só contribuem para que a ‘nossa dor’ seja cada vez maior”, afirmou ainda.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›