6 demissões mais marcantes da história do SBT

SBT
Hebe, Jô Soares e Gugu estão entre as saídas mais marcantes da história do SBT (Imagens: Divulgação – SBT/ Montagem – RD1)

O SBT está vivendo um momento de grande crise. Em plena pandemia do novo coronavírus, a emissora tem feito cortes em vários setores e nem mesmo os queridinhos de Silvio Santos escapam das demissões. Nas últimas semanas, o vínculo de Roberto Cabrini não foi renovado, Maisa Silva decidiu encerrar seu contratoLeão Lobo, Lívia Andrade e Mamma Bruschetta foram dispensados.

Ao longo da sua história, o canal paulista deixou grandes nomes saírem do seu casting. Por isso, vamos lembrar as seis demissões mais marcantes da empresa.

Confira:

Hebe Camargo
Saída de Hebe deu o que falar em 2010 (Imagem: Divulgação)

Hebe Camargo

Há quase dez anos, a eterna Rainha da TV brasileira, Hebe Camargo (1929-2012), não teve o seu contrato renovado com o SBT. Em dezembro de 2010, a apresentadora escreveu uma carta para a equipe do seu programa sobre sua saída do canal, após quase 25 anos de parceria.

Logo em seguida, ela foi anunciada pela RedeTV!, onde ficou até 2012, quando decidiu voltar para sua antiga casa. Porém, a apresentadora, que morreu em setembro desse mesmo ano, não conseguiu fazer a reestreia de sua atração.

Gugu Liberato
Gugu fez história no canal da Anhanguera (Imagem: Lourival Ribeiro / SBT)

Gugu Liberato

Assim como Hebe, Gugu (1959-2019) foi um dos rostos mais conhecidos da história da emissora paulista. Por isso, sua saída para a Record, em 2009, provocou um grande rebuliço entre os brasileiros. Apontado como herdeiro artístico de Silvio Santos, ele recebeu uma proposta milionária da concorrente para assumir um programa aos domingos. Como contra-ataque, o eterno Dono do Baú tirou Eliana e Roberto Justus da Record, onde o loiro ficou até sua morte, em novembro de 2019.

Jô Soares
Jô Soares comandou atração no SBT, mas deixou o canal em 1999 (Imagem: Divulgação)

Jô Soares

Muita gente pode até não se lembrar, mas foi na rede de SS que Jô Soares fez sua estreia com o formato – até então desconhecido no Brasil – de talk-show. Na época, ele havia deixado a Globo – inclusive, chegou a ser um nome proibido na empresa -, onde atuava em programas de humor, para sua carreira passar por uma reviravolta. E passou.

Porém, depois de 11 anos, o apresentador decidiu não renovar o contrato com o canal da Anhanguera e levou o seu projeto para sua antiga emissora. Na época, ele garantiu que a mudança não aconteceu “por dinheiro”, mas por um crescimento profissional.

Serginho Groisman
Serginho Groisman, com Alanis Morissette, no Programa Livre (Imagem: Divulgação / SBT)

Serginho Groisman

No mesmo ano em que Jô saiu do SBT, Serginho Groisman também deixou o canal. Inclusive, assim como o humorista, o apresentador também levou para a Globo o mesmo formato que conduziu durante anos na empresa paulista. Na época, os rumores davam conta de que, inclusive, Silvio teria oferecido para Serginho o horário de Jô Soares para que ele ficasse.

Em recente entrevista para o Roda Viva, da TV Cultura, o famoso lembrou a troca de canais. “Começou um caminho difícil na minha vida, que era aceitar ou não ir para a Globo. Eu falei ‘Talvez não dê certo, mas não posso me deixar experimentar um caminho que me apresenta'”, lembrou ele, que trocou várias vezes de horário com o seu Programa Livre.

“Eu tive que falar para o Silvio que estava tentado em ir para a Globo. Ele disse: ‘Te ofereço tanto’. Era um dinheiro que me faria sócio do Baú. Eu pensei: ‘Mas tanto dinheiro assim. Será que ele quer que eu fique ou não quer que eu saia?’ Fiquei com a cabeça muito confusa”, completou.

Sérgio Chapelin
Sérgio Chapelin comandou programa de auditório no SBT (Imagem: Divulgação)

Sérgio Chapelin

Você pode até não lembrar, mas Sérgio Chapelin foi outro famoso que teve uma passagem pelo SBT. Durou pouco, mas foi importante. No canal, entre 1983 e 1984, o jornalista conhecido pelo Jornal Nacional e Globo Repórter comandou um programa de auditório, o Show Sem Limite. Os rumores davam conta de que ele teria deixado a Globo para ganhar seis vezes mais, além de poder trabalhar em comerciais.

O programa estava indo muito bem de audiência e crítica, mas o apresentador nunca esteve satisfeito com a rede. Em entrevista para a Veja, em 1984, ele chegou a dizer que o SBT não era aquilo que ele queria. “Eu me pergunto até onde uma pessoa pode gastar o prestígio acumulado e até quando pode trabalhar em algo que não corresponde às suas aspirações mais profundas”, declarou o veterano, que cumpriu apenas um ano de contrato.

J. Silvestre
J. Silvestre saiu brigado do SBT (Imagem: Reprodução)

J. Silvestre

Antes da chegada de Chapelin, J. Silvestre (1922-2000) foi o responsável por comandar o sucesso Show Sem Limite. E, assim como o global, ele saiu brigado com o canal de SS. O apresentador rescindiu o seu contrato acusando o patrão de ter registrado o nome da atração sem a sua autorização. Segundo o famoso, ele usava o título desde a década de 1950, no Rio de Janeiro, e por isso o pertencia. A briga entre os dois causou muito burburinho na época, mas acabou caindo no esquecimento da mídia.

CONTINUE LENDO →

A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com