Aos 58 anos, Paulo Zulu anuncia nascimento do terceiro filho

Paulo Zulu
Paulo Zulu mostrou o rostinho do filho, que nasceu na quinta-feira (13) (Imagem: Reprodução – Instagram / Montagem – RD1)

O ator Paulo Zulu usou as redes sociais para anunciar o nascimento do seu terceiro filho, Kiron, fruto do relacionamento com a modelo Elaine Quisinski.

No Instagram, o modelo, que está com 58 anos, compartilhou as fotos com o herdeiro ainda na maternidade, pouco depois do nascimento dele. “Depois de muitos momentos delicados da vida, vem a bênção. Kiron chegou“, contou Zulu, que depois postou uma foto do filho sozinho. “Obrigado, Senhor“, legendou.

Além de Kiron, Zulu também é pai de Patrick, de 18 anos, e Derek, de 16 anos, ambos do primeiro casamento dele com a modelo Cassiana Mallmann. Os dois, por sinal, ficaram juntos por 23 anos e anunciaram a separação em 2015.

A chegada do caçula na vida do ator acontece meses depois dele passar por um verdadeiro susto. Zulu, para quem não acompanhou, bateu a cabeça em um telhado de concreto. Apesar de não ter sentido nada no momento do acidente, o modelo passou mal dias depois.

Em entrevista ao Domingo Espetacular, Paulo falou sobre o episódio, que aconteceu neste ano: “Botei gelo no dia seguinte, tive um caroço, foi diminuindo e depois não tive dor de cabeça, nada“.

O resultado da pancada só apareceu dias depois. Em casa com Zulu, Elaine levou um susto ao acordar com o barulho dele desmaiando. “Quando levantei, me deparei com ele no chão, ele estava com os braços tortos, olhos brancos, estava sem batimento cardíaco”, relatou ela, que completou:.

“No dia anterior ele estava ótimo. Achei que ele tivesse morrido. Virei ele de lado, ele começou a engasgar, nessa de convulsionar, ele foi voltando a respirar. Foi um alívio”.

Elaine disse levou Paulo para o hospital. “Fiquei 12 horas em outro estágio, outro planeta. Nunca perdi a consciência desse jeito“, afirmou o ator, que se consultou com um neurologista: “Fiz tratamento com remédios, repouso absoluto e fui orientado a ficar 30 dias sem dirigir, sem me mexer, para não apagar novamente”.

Após ter passado pela experiência delicada, Paulo Zulu fez uma reflexão sobre a vida: “Não passei por uma quase morte à toa. Quero aproveitar e falar para as pessoas a se apegar a detalhes que fazem a diferença entre você estar bem ou não está mais aqui”.

Veja mais ›