Chico Buarque
Itamaraty nega ter censurado documentário sobre Chico Buarque (Imagem: Divulgação)

O jornalista Ancelmo Gois publicou em sua coluna do jornal O Globo uma carta enviada pela JBM Producciones, do Uruguai, a Miguel Faria Junior, diretor do documentário “Chico – Artista Brasileiro”, filme sobre a trajetória de Chico Buarque, na qual afirmava que o Itamaraty havia censurado a exibição da produção no 8º Cine Fest Brasil, em Montevidéu, no Uruguai. O consulado nega a informação. 

No texto divulgado pelo veículo, a produtora havia recebido uma mensagem do cinema que irá sediar o festival, afirmando que a embaixada brasileira havia dito para não exibir o documentário sobre o músico brasileiro. “Embora seja lógico devido à situação política no Brasil, no Uruguai é muito sério que a exibição de um filme seja censurada”, diz um trecho da carta. 

Em nota, o Itamaraty negou ter cancelado a sessão. A produtora cultural Inffinito, uma das apoiadoras do evento, também desmentiu a informação. 

A embaixada alega ter se limitado a “indicar sugestões” e que “a seleção dos filmes é de responsabilidade dos produtores do evento”. Além disso, o Itamaraty explicou que “foi contatada pela produtora cultural Inffinito” no começo de agosto e que atendeu ao pedido “para trazer a produção cinematográfica do Brasil ao Uruguai”.

Por causa dos transtornos causados pelos falsos rumores de censura, a curadoria do evento informou que vai convidar o longa para ser exibido em sessão hors concours no encerramento do festival. 

A produtora Inffinito disse que “critério da seleção dos filmes que os mesmos tenham sido lançados no ano corrente do festival e/ou anterior ao mesmo (2018-2019)”. Por ter sido produzido em 2013 e lançado em 2015, o documentário não está na lista. 

🔔Boletim RD1 | Notícias dos Famosos