Após editorial do JN, Bolsonaro dá piti, grita e manda repórter da Globo calar a boca

Bolsonaro
Bolsonaro gritou e mandou repórter da Globo calar a boca (Imagem: Reprodução / Twitter)

Depois de provocar William Bonner, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mais uma vez partiu para o ataque à Globo. O político surpreendeu uma jornalista da TV Vanguarda, afiliada da emissora do interior de São Paulo, deu piti e ainda gritou com ela.

Visivelmente irritado, o chefe do Executivo reagiu quando a repórter quis saber sobre as 500 mil mortes do Brasil pela Covid-19 e também o motivo pelo qual ele chegou sem máscara na cidade de Guaratinguetá.

“Estou sem máscara em Guaratinguetá, você tá feliz agora? Essa Globo é uma merda de imprensa. Vocês são uma porcaria de imprensa. Cala a boca. Vocês são uns canalhas. Vocês fazem um jornalismo canalha, que não ajuda em nada”, disparou o presidente.

Bolsonaro seguiu com seu discurso contra o canal: “Vocês não ajudam em nada, vocês destroem a família brasileira, destroem a religião brasileira, vocês não prestam. A Rede Globo não presta”.

O ataque de fúria do político foi feito após solenidade de formatura de sargentos em Guaratinguetá, no interior de São Paulo. Questionado sobre a motociata da semana passada, o presidente ainda declarou:

“Eu estava com capacete balístico à prova de [calibre] 762. Eu sou um alvo de canalhas do Brasil. Eu chego como eu quiser, onde eu quiser, eu cuido da minha vida. Se você não quiser usar máscara, você não usa. Agora, tudo o que eu falei: tratamento precoce salvou a minha vida, muitos jornalistas falam reservadamente que usaram hidroxicloroquina, usaram ivermectina, por que vocês não admitem isso? Parem de tocar no assunto”.

O piti de Jair Bolsonaro aconteceu dias depois do Jornal Nacional ter feito um editorial sobre as 500 mil mortes pela covid-19. Hoje mais cedo, na entrada do Palácio da Alvorada, o presidente ironizou a declaração de Bonner no telejornal e comparou o âncora a um médico.

“Quem estiver com Covid sabe quem procurar agora, o doutor William Bonner. A doutora Miriam Leitão também é muito boa”, comentou Bolsonaro, que não comentou a marca de 500 mil mortes no Brasil.

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›