“Aprendi a valorizar o hoje”, diz Giulia Gayoso, a Princesa Isabel de Nos Tempos do Imperador

Giulia Gayoso
Giulia Gayoso vive a Princesa Isabel em Nos Tempos do Imperador, da Globo (Imagem: Divulgação)

Quem está acostumado a ver Giulia Gayoso na TV dando vida à Princesa Isabel, em Nos Tempos do Imperador, sequer imagina que fora da telinha a atriz é apaixonada por pole dance.

“Sempre gostei de fazer coisas novas. Esses dias, eu falei com os meus amigos que não existia um esporte que ainda não tivesse tentado fazer. Agora, estou apaixonada por pole dance”, conta a atriz, que se tornou caseira por conta da pandemia.

“E tenho seguido assim… Então, estou curtido as horas de folga com a minha cachorrinha, cozinhando coisas novas e passando o dia assistindo filmes. Adoro rever clássicos; abro um bom vinho e aproveito esse momento”, diz, em entrevista exclusiva ao RD1.

Boa no comando do forno e fogão, realmente, cozinhar é uma terapia para a atriz, que faz questão de preparar delícias em casa, como o seu guacamole. No entanto, quando não tem tempo para montar as suas refeições, ela recorre a uma boa massa semipronta, algo que sempre tem na geladeira.

“Eu moro sozinha, então, cozinho, faço à minha própria comida. E é algo que adoro! Para mim, cozinhar é terapêutico, é um dos momentos que mais curto durante o dia. Quando não tenho tempo, sempre tenho à mão aquela massa do improviso. Como boa neta de italianos, eu adoro essa opção. Durante o período da quarentena, aprendi a fazer diversos pratos novos – e me aventurei em preparos que levam até fermentação natural”, explica.

Em seu segundo trabalho numa trama de época – o primeiro foi em Tempo de Amar – a atriz conta que estar em Nos Tempos do Imperador, que caminha para a reta final, foi um grande aprendizado, como o de se adaptar a uma nova realidade de gravar um folhetim em tempos de Covid-19.

“Ter entrado na novela com a trama já em andamento foi desafiador. E ainda com a pandemia no meio do caminho com protocolos e outros, foi ainda mais delicado. Foi divertido descobrir novos formatos, novas saídas”, revela a atriz.

E completa: “Todo personagem tem os seus desafios e um dos maiores foi o de aprender o tempo que eu levava para estar pronta para gravar e me adaptar essa nova realidade. Foi uma aventura no tempo”.

Em tempos difíceis com a pandemia da Covid-19, Giulia confidencia que novas reflexões surgiram nos últimos tempos. “Muitas! Falo bastante sobre isso na minha análise. É algo que nunca imaginamos que passaríamos hoje, no século 21. Precisar rever a liberdade de ir e vir por conta do medo nos faz repensar muita coisa… Entendemos que a vida é repleta de surpresas, que não necessariamente serão boas. Aprendi muito a valorizar ainda mais o hoje, as coisas que construí, os laços que possuo e que me orgulho, e no que me apoiei tanto durante este período difícil”, fala.

Giulia Gayoso
Giulia Gayoso vive a Princesa Isabel em Nos Tempos do Imperador, da Globo (Imagem: Divulgação)

Nos dias de hoje

Se em Nos Tempos do Imperador, Giulia dá vida a uma princesa na época do Brasil pós-proclamação da República, a atriz conta que se essa princesa vivesse nos dias de hoje, um dos seus maiores desejos para o país seria o investimento em educação.

“Dificílima essa pergunta. Sabe quando a coisa está tão bagunçada que a gente nem sabe por onde começar? Não tem como não pensar, de imediato, em algo que seja abrangente para tornar o nosso país melhor, mais justo. Se eu tivesse um poder administrativo hoje, o meu foco seria na educação de qualidade para todos. Quando se tem educação, estudo, formação e informação, o impacto é direto na sociedade, na saúde, na segurança, em tudo”, reforça a atriz.

“A gente não cai em fake news, sabemos o que estamos consumindo, comendo e reproduzindo, e ainda de quem cobrar. Entendemos os nossos direitos e deveres. Com a educação, a gente se comunica melhor, respeitamos mais o outro; trabalhamos a empatia, entendemos a história do outro. A gente se identifica onde estão os problemas e como eles podem ser resolvidos. Aprendemos a pensar”, assegura Gayoso.

Ao viver na novela o mundo da realeza e se deparar com a realidade do Brasil atual, a atriz deixa claro que o folhetim é uma fantasia. Porém, afirma que o país retratado na obra do século XIX já era tão difícil quanto o que vivemos nos dias de hoje.

“Por mais que exista um viés histórico, estamos vivendo ali um mundo com problemas reais e de alguma forma amenizados. O Brasil daquela época era tão difícil quanto o de hoje, tanto que ele nos trouxe até aqui. Caminhamos e colhemos as consequências de um Brasil escravocrata, colonizado e desigual”, explica.

Orgulhosa da caminhada no mundo da dramaturgia, Giulia, de apenas 23 anos, começou a carreira na TV em Malhação, depois fez Tempo de Amar, O Sétimo Guardião e, agora, está em Nos tempos do Imperador. Ela afirma que foi um sonho ter vivenciado tantos personagens diferentes em tão pouco tempo.

“Tive a oportunidade de trabalhar com pessoas que sempre admirei e cresci assistindo, bem como outras que estavam começando na televisão junto comigo. Isso me enche de alegria e me vejo aprendendo, evoluindo e descobrindo novas coisas”, reflete a atriz, que tem como um desejo para carreira fazer séries: “Nunca trabalhei em séries, é um formato que sou muito curiosa para fazer”.

Gostou do conteúdo? Siga @rd1oficial no Instagram e RD1.com.br no Facebook para acompanhar as últimas notícias dos famosos.

MAIS LIDAS

Márcio Gomes
O carioca Márcio Gomes é apaixonado pelo jornalismo, tanto que o escolheu como profissão. Passou por diversas redações, já foi correspondente estrangeiro dos títulos da Editora Impala de Portugal como Nova Gente, Focus, Boa Forma, e editor na revista de BORDO. Escreveu para várias publicações como Elle, Capricho, Manchete, Desfile, Todateen, Shape, Seleções, Agência Estado/Estadão, O Fuxico, UOL, entre outros.
Veja mais ›