BBB 2019
Tereza suportou mais de 13h na prova de resistência do BBB 2019 (Imagem: Reprodução / Globo)

É comum que internautas e telespectadores criem a primeira impressão sobre os participantes embasados no vídeo de apresentação de cada um. São diferentes especulações sobre quem irá formar casal, chegará até a final e conseguirá resistir às provas de resistência. No “BBB 2019”, uma das participantes surpreendeu.

Muitos acreditaram que a participante mais velha da casa não conseguiria permanecer muito tempo nas provas de resistência. Acontece que essa teoria não durou muito. Aos 52 anos, Tereza foi pega de surpresa pela prova que valeria uma imunidade logo para o primeiro paredão, mas se jogou de cabeça.

Acompanhe tudo que acontece no BBB 2019 clicando aqui

Foram mais de 13 horas na prova, antes de dar adeus ao desafio. A pernambucana ficou em quarto lugar na competição. Não conseguiu ficar imune, mas conquistou a credibilidade do público, que se surpreendeu ao ver que ela aguentou mais tempo que muitos “novinhos” do reality.

Ainda do lado de fora da casa, famílias e amigos não receberam a notícia com surpresa. Afinal, no dia a dia, as amigas contam que ela é firme e forte no batente. “Muito legal a repercussão, mas não é uma surpresa para nós. Tereza, por ser técnica de enfermagem, segura a onda em plantão de hospital, já virou 24 horas, fazendo de tudo pelos pacientes. Antes dela ir para o confinamento, ela até brincava: “Só tenho medo de não segurar o xixi””, contou a amiga Tereza Padilha, em entrevista ao Extra. Uau! A nordestina promete!

BBB 2019: Tereza se envolve em discussão após comentário polêmico

Um pensamento exposto por Tereza no confinamento do “BBB 2019”, acabou gerando muita discussão no reality. A sister, ao falar sobre racismo, afirmou que loiras dos olhos claros, assim como pessoas negras, também sofrem com certos tipos de comentários.

Diante da insinuação de que existe racismo reverso, Gabriela, que é negra, explicou seu ponto de vista para a psicanalista. “Isso não é racismo. Racismo é um sistema de opressão. Existiria racismo inverso se existissem navios ‘branqueiros’, que escravizassem as pessoas brancas por mais de 300 anos”, declarou.

 

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Está opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!