Canal Viva exalta íntegra das novelas e pede perdão por trama cortada

Canal Viva
Isabela Garcia (Ana) e Tony Ramos (Tonico) em Bebê a Bordo; Canal Viva pede desculpas por cortes em novela (Imagem: Divulgação / Globo)

Nesta quarta-feira (24), o Canal Viva aproveitou um post no Twitter para pedir desculpas pelos cortes em Bebê a Bordo (1988). A novela de Carlos Lombardi, protagonizada por Isabela Garcia e Tony Ramos, foi “tesourada” em sua passagem pelo canal, por motivos até hoje não esclarecidos.

Na publicação de hoje, o Viva alertou o público sobre as alterações dos horários de O Clone (2001), Chocolate com Pimenta (2003) e Brega & Chique (1987) na faixa noturna – os capítulos de quarta-feira da trama de Glória Perez são originalmente mais curtos, por conta dos ajustes que o futebol impunha à grade da Globo.

Lembrando que nós exibimos nossas novelas na íntegra, sem cortes e exatamente como foi exibida originalmente”, salientou o canal, emendando com o seguinte pedido: “Vocês precisam me perdoar pelo caso ‘Bebê a Bordo’”.

Os internautas dividiram-se entre os que aplaudiram a atitude do Canal Viva e os resistentes ao gesto. “Tá tudo certo! Errar é humano! Relaxa…”, respondeu um. “Claro! Aliás, sempre apoiei”, afirmou outro. “Jamais”, decretou um terceiro. “Sugiro uma re-reprise dela para o perdão finalmente vir”, mais um.

Bebê a Bordo estreou no Viva em janeiro de 2018. A exibição seguiu na íntegra até abril; cortes precipitaram o término em cerca de três meses. Na época, a baixa audiência foi apontada como justificava para a edição, tal qual o incômodo do público com piadas sobre sexo e colocações políticas já datadas. Uma segunda reprise de Vale Tudo (1988) foi escalada para a faixa das 15h30 praticamente às pressas.

O texto de Carlos Lombardi marcou época às 19h justamente pelo tom anárquico, debochado e sexual. Roberto Talma respondeu pela direção, apostando em linguagem próxima a dos videoclipes, promovendo uma mudança estética nos padrões da faixa.

Cabe lembrar que Bebê a Bordo foi a única novela do Viva a sofrer edição. Dancin’ Days (1978) e Terra Nostra (1999) foram exibidas em suas versões internacionais – a primeira, sem prejuízo à narrativa; a segunda, reduzida de 221 para 150 capítulos por conta de direitos ligados à trilha sonora. Em ambos os casos, o Viva informou o telespectador sobre o conteúdo “diferenciado”.

A íntegra de Bebê a Bordo foi disponibilizada, após os protestos do público, no Viva Play. A novela volta à cena em breve, via Globoplay; trata-se dos aproximadamente 50 clássicos de sua dramaturgia prometidos pela Globo para a plataforma.

Confira:

CONTINUE LENDO →

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.

ALERTAS GRATUITOS