Com ampla cobertura da pandemia, Globo turbina jornalismo e mostra soberania

Globo
Márcio Gomes fazendo uso de máscara durante o Combate ao Coronavírus (Imagem: Reprodução / Globo)

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a informação vem como uma peça fundamental aos brasileiros diante de tanta notícia contaminada pelas mentiras. Com várias opções de jornalismo diário, há que se destacar o da Globo, que turbinou sua programação e viu seus índices de audiência decolarem até em horários problemáticos.

Suspendendo a faixa de entretenimento logo no início das primeiras notícias sobre a doença, a emissora abriu sua grade de programação ao jornalismo e aumentou os horários de seus noticiários.

Logo pela manhã, o Bom Dia Praça ganhou meia hora, começando às 6h e indo até às 8h30, quando então entra em cena o Bom Dia Brasil, que passou a terminar às 9h50. Fora do ar por ser do grupo de risco, Ana Maria Braga saiu de cena com seu Mais Você para dar espaço a Márcio Gomes e o Combate ao Coronavírus, programa que traz informações diárias e atualizadas com prestação de serviço e orientações sobre a pandemia.

Na hora do almoço, o telejornal local da Globo passou a durar mais tempo, sendo transmitido das 12h às 13h25. Na sequência, edições maiores do Jornal Hoje, das 13h25 às 15h. Vale aqui destacar a soberania da emissora frente aos concorrentes. Sob o comando de Maria Júlia Coutinho, o JH agonizava na disputa com a Hora da Venenosa, quadro do Balanço Geral SP comandado por Geraldo Luis, Fabíola Reipert e Renato Lombardi. A rapidez da direção do canal em agir nas atuais circunstâncias mostrou que ajustes na grade eram necessários para que a liderança de audiência retornasse ao canal.

Com o Se Joga patinando na disputa com a Venenosa – com essa dificuldade vindo desde o Globo Esporte e passando pelo JH -, a pandemia atraiu mais telespectadores aos informativos do canal, que passaram a acumular recordes frequentes.

Na concorrência, SBT, Record, Band e RedeTV! vêm fazendo intensa cobertura sobre a doença, mas não da mesma forma que a Globo. O Jornal Nacional, por exemplo, tem registrado números impressionantes que há anos não via com tamanha constância.

Márcio Gomes, aliás, tem feito um excelente trabalho à frente do Combate ao Coronavírus junto de especialistas e médicos para elucidar as dúvidas das pessoas de casa. Sugestões de como lavar as mãos e quais cuidados tomar fazem parte do dia a dia do informativo criado especificamente para este período – pena que a Globo optou pelo fim do mesmo no próximo dia 22, quando o Encontro ganhará mais tempo.

A emissora vem sentindo essa alternância de programação e os dados de audiência mostram um mês de março melhor do que o registrado em 2019 na média das 24 horas. Vale destacar que o isolamento das pessoas tem a ver com este fator de aumento do público diante da TV.

Conforme dados do Kantar Ibope, a Globo registrou média de 15 pontos e 36% de share em março. O resultado é um aumento de dois pontos em comparação ao mesmo mês do ano passado.

Se a Globo vê sua audiência decolar, suas concorrentes sentem na pela a falta de investimento no campo do jornalismo. A Record registrou perda de 1 ponto (caiu de 6 para 5 pontos). As demais emissoras mantiveram seus índices: Band marcou 2 pontos; SBT, 6 pontos; e RedeTV!, 1 ponto. Se analisado apenas o horário nobre da Globo, das 18h à 0h, o canal anotou 27 pontos. O índice é 5 pontos acima do registrado no mesmo período de 2019.

Reuber Diirr é formado em jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Com passagens pela Record News ES e TV Gazeta (Globo/ES), é apaixonado por televisão e acompanha as coletivas de imprensa com matérias exclusivas em vídeos com os artistas para o RD1. Além disso, produz conteúdo multimídia com as principais informações dos famosos para o Instagram, Twitter, Facebook e Youtube do RD1. Acompanhe os eventos com famosos clique aqui!

WordPress Lightbox