Elenco de Pega Pega celebra reprise da trama, que volta ao ar nesta segunda (19)

Pega Pega
Protagonistas de Pega Pega, que será reprisada na Globo (Imagem: Divulgação / Globo)

Com o adiamento de Quanto Mais Vida Melhor, uma edição especial de Pega Pega será exibida na faixa das sete na Globo, sucedendo Salve-se Quem Puder, que chegou ao fim na sexta-feira (16). Sendo assim, a trama de Claudia Souto chega à telinha a partir desta segunda-feira (19).

Para quem não lembra, a história gira em torno do fictício hotel Carioca Palace e dos bairros de Copacabana e Tijuca. O romance central é focado nas histórias dos protagonistas Luíza (Camila Queiroz) e Eric (Mateus Solano).

No enredo, o romance avassalador entre Luíza e Eric fica abalado por causa da compra do hotel pelo empresário – venda feita por Pedrinho Guimarães (Marcos Caruso), dono do hotel, sem o consentimento da neta. Porém tudo dá errado quando Malagueta (Marcelo Serrado), Júlio (Thiago Martins), Sandra Helena (Nanda Costa) e Agnaldo (João Baldasserini) roubam os 40 milhões de dólares da transação do cofre em pleno baile de gala de Luíza.

Os protagonistas da trama estão ansiosos para acompanhar a repercussão da produção, que teve sua primeira exibição em 2017. “Foi tudo muito bem escrito, cada ladrão, cada característica dos personagens tão bem colocadas, que tivemos a oportunidade de desenvolver essas pessoas, essas relações, de forma a trazer graça a eles. São diferentes de uma pessoa sem caráter”, destacou o ator João Baldasserini.

A história cativou tanto o público que, na época, os telespectadores torciam para que os “vilões” saíssem ilesos das acusações sobre o crime. “Acredito que as pessoas vão continuar torcendo para que os ladrões saiam desse crime de forma legal. E acho que o fato de termos trazido essa história com tanta alegria a deixará mais leve. As pessoas vão se identificar e se divertir”, afirmou Thiago Martins.

Enquanto isso, Marcelo Serrado, reforçou: “Cada um achou um caminho e essa torcida para os vilões foi uma coisa muito maluca. Apesar de Claudia e Luiz serem mestres, terem levado com leveza e com humor esses personagens, fizeram com que o público se encantasse com esses quatro”.

Nanda Costa, que deu vida à camareira Sandra Helena e está grávida de gêmeos, relembrou com carinho um detalhe que fez sucesso na internet, que foi quando ela gravou um vídeo dançando com João Baldasserini. “O João estava triste porque estava há semanas gravando na cela, sem encontrar com o elenco, e nos encontramos para almoçar. Chamei ele para dançar, postamos e aí começou a repercutir. Fizemos um apelo na época para a Claudia nos tirar da cadeira – Sandra Helena também foi presa na época“, disse, aos risos.

Para a autora, o debate ético discutido ao longo da história é sempre atual. “É bom provocar o público com todas essas questões. Além de ética, vamos falar de diversidade, racismo, sempre com leveza. Torço para que as pessoas embarquem com a gente novamente”, comentou autora Claudia Souto.

Os pombinhos da novela, vividos por Mateus Solano e Camila Queiroz, lembram da época das gravações igualmente com carinho. “Tínhamos uma relação desse casal que gosto muito, que era a luz e a sombra. O Eric tinha passado por muita coisa, ele tinha uma sombra em cima dele. E a Luiza era como se fosse o sol dele, ela trazia essa alegria, essa leveza para sua vida, que justifica muito essa paixão dos dois. Acho que era um casal meio moderno, mas ao mesmo tempo com bases muito clássicas e românticas“, refletiu a atriz, que foi complementada por Solano:

“A Camila lembrou bem, falou perfeito, lembrou de toda essa história de luz e sombra. Mas lembro também de que tudo estava concentrado em contar essa história do roubo. Isso pegou muito o público. Até nós, como o casal, ficávamos nos enfiando, nos metendo, de alguma forma tentando entrar também nessa história do roubo. A trama foi muito bem construída em torno disso”.

O ator ainda completou: “Eu acho que a gente falou com leveza sobre assuntos tão pesados. A novela nos lembra que somos mocinhos e vilões das próprias vidas, que todos fazemos nossas escolhas. Isso tudo é muito importante para a gente se relativizar e apontar os dedos para si próprios na hora de lutar por um mundo melhor”.

Elson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›