Eliana lembra ajuda de sexóloga para trocar público infantil pelo adulto

Eliana
Eliana lembrou ajuda de sexóloga para ajudar na migração do público infantil para o adulto (Imagem: Divulgação / SBT)

Eliana revelou, em entrevista ao canal do YouTube do Rap 77, que ao deixar de apresentar programas para o público infantil precisou das orientações de uma sexóloga para assimilar a tarefa de comandar programas voltados à toda família.

A apresentadora encerrou o seu trabalho com exclusivamente para crianças em 2004. Um ano depois, ela assumiria o Tudo é Possível, sua primeira atração dominical, na Record, e em 2009 migrou para o SBT, onde permanece desde então.

“Eu precisei fazer terapia, porque meu comportamento, depois de 16 anos trabalhando com criança, era um comportamento um pouco infantil para a minha idade”, lembrou ela, que explicou que, ao lidar com o público infantil, uma pessoa deve adotar certos modos de comunicação.

“Você infantiliza a voz: ‘Ai, que bonitinho’. Então, a minha voz era mais fina. E eu nunca usava unhas pintadas com cores vibrantes nem passava batom vermelho”, disse a contratada do SBT que acrescentou: “Usar um decote e me colocar como uma mulher superfeminina em frente às telas apresentando um programa de TV nem pensar”.

A terapeuta a ajudou a reequilibrar as coisas. “Ela falava: ‘solta essa mulher que está aí dentro de você. Você não trabalha mais com crianças. Agora, você trabalha com a família brasileira. Pode. Se permita colocar um decote, se permita colocar uma minissaia, se permita ser uma garota de 30 anos de idade em frente às telas'”. 

A loira comentou um episódio no qual o público nas redes sociais se mostrou surpreso ao fazer uma publicação lavando louça. “Nossa, muita gente não acreditava. Eu fiz questão de responder a muita gente. Claro, de maneira querida, engraçada, sem ressentimentos. Por que ninguém acredita que eu lavaria louça, meu Deu do céu? A coisa mais normal é uma mãe lavar uma louça, uma pessoa lavar uma louça”, assegurou.

Eliana enfatizou que não é diferente de ninguém, fora a fama. “Escolhi uma profissão que me deixa um pouco mais exposta porque estou num meio de comunicação muito forte, que é a TV. Ponto. Nada muda. Continuo sendo mãe, esposa. Continuo tendo que limpar a caca do cachorro, lavar louça, limpar a casa. É normal”, sentenciou.

Veja:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Veja mais ›