Filhos da Pátria
Filhos da Pátria estreia na Globo com alusão ao governo Bolsonaro (Imagem: Reprodução / Globo)

A estreia da segunda temporada de Filhos da Pátria, na Globo, rendeu discussão entre os internautas na noite desta terça-feira (8). Com Fernanda Torres e Alexandre Nero como protagonistas, a trama de humor com doses de política fez alusão ao governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e até da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Desde a eleição do atual governo, a emissora carioca tem soltado críticas e alfinetadas contra Brasília, em sua maioria em programas de humor, como o Zorra. A nova série da Globo não foi diferente.

“Acabou a mamata”, “menino veste azul e menina veste rosa” e uma arma feita com a mão foram vistos no primeiro episódio da atração, em alusão aos governos que comandaram o país nesta década.

Em uma das cenas de Filhos da Pátria, militares cercaram o palácio onde vivia o presidente Washington Luís, com o objetivo de tirá-lo do poder, enquanto um dos tenentes da 1ª Brigada de Cavalaria declarava: “A nossa República caiu. Acabou a mamata, a corrupção, os conchavos, troca de favores, o cabide de empregos”.

Maria Teresa, papel de Fernanda, viu o filho com roupas femininas e ficou irada. “Deus, por que não me fulminas? Eu criei os meus filhos para serem cordeiros seus e eles se transformam em ovelhas negras. Menino veste azul, menina veste rosa”, provocou, em referência à ministra Damares Alves.

A mesma personagem lembrou do governo Dilma, quando soltou um “tchau, querido”, lembrando a frase dita pelo ex-presidente Lula (PT) por telefone com a então chefe de Estado: “E pode tirar um presidente assim só porque o povo quer? Adorei isso. ‘Não gostei de você, rua’.Tchau, barbado. Tchau, querido”.

Confira a repercussão na web:

🔔Boletim RD1 | Notícias dos Famosos