Gilberto Nogueira e Fiuk falam do passado com as mães no Caldeirão do Huck

Gilberto Nogueira e Fiuk
Gilberto Nogueira e Fiuk falam do passado com as mães no Caldeirão do Huck (Imagens: Reprodução – Globoplay / Montagem – RD1)

Fiuk e Gilberto Nogueira ficaram muito amigos no Big Brother Brasil 2021 e puderam se reencontrar numa participação no Caldeirão do Huck deste sábado (19) e levaram suas respectivas mãe, que trouxeram o passado dessas duas famílias à tona.

Luciano Huck começou dispensando a distinção entre os grupos Camarote e Pipoca, que surgiu na penúltima edição do reality show da Globo: “Vocês ambos sofreram a angústia, o medo de serem rejeitados, um por causa da orientação sexual, origem, o outro por carregar o peso de ser filho do Fábio Jr., de não ter do que reclamar”.

O  também conhecido como Gil do Vigor explicou que fez um curso enquanto estava estudando no colégio e trabalhando num restaurante ao mesmo tempo. Por isso, conseguiu um emprego melhor para comprar um computador e assim ter mais ferramentas para se concentrar para o exame do vestibular.

É muito complicado você ouvir das pessoas que estudar é bom para quem é rico. Eu sabia que se eu quisesse algo maior, seria através do estudo. No meu mundo paralelo, eu buscava essa realidade. Eu consegui passar no PhD sendo o Gil do Vigor, comendo cuscuz (…) Minha mãe sempre foi muito amiga. Dizia para a gente estudar, que ela faria qualquer coisa por nós”, disse o ex-BBB em entrevista à Huck.

Jacira Santana, mãe de Gil, lembrou que se casou com o pai de seu filho com 17 anos e sofreu violência doméstica, além de uma fase que teve que recorrer ao sexo por dinheiro: “Eu já fiquei com homem e não me envergonho. Gil passava a mãozinha na barriga, ele nunca falou ‘tô com fome’, mas eu sabia que estava. Eu fiz muita coisa para trazer comida, eu já deitei com homem para ter dinheiro, eu não me arrependo”.

Fiuk, em contrapartida, relatou os momentos de depressão e também do TDA o atrapalhando na escola: “Cheguei a ficar trancado dentro do quarto (…) Eu não queria entrar no BBB por causa dos meus defeitos. Minha mãe queria que eu entrasse justamente por eles”.

Cristina Karthalian, mãe do cantor, contou que conheceu Fábio Jr depois de uma pergunta sobre signos, num encontro que rolou numa discoteca no bairro do Morumbi, em São Paulo (SP). O relacionamento durou quatro anos e também deu duas filhas: Tainá Galvão e Krizia.

A matriarca da família disse que que foi do céu ao inferno ao assistir as cenas do filho no BBB, mas no geral ficou orgulhosa: “Vi ele assumindo os problemas dele. A história do casulo é verdade. Foi uma ótima oportunidade dele ter essa convivência, de ter críticas, autocríticas”.

Matheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›