Glamour Garcia abre o jogo sobre cirurgia de redesignação sexual e explica decisão

Glamour Garcia
Glamour Garcia fala sobre redesignação sexual (Imagem: Reprodução / Instagram)

Sucesso em A Dona do Pedaço, com a personagem Britney, Glamour Garcia hoje se sente mais à vontade para falar abertamente sobre a transsexualidade. Durante uma entrevista recente, a atriz abriu o jogo sobre o motivo de ter adiado algumas vezes a cirurgia de redesignação sexual.

É uma grande questão na minha vida (…) A primeira (questão) é: ser uma mulher independente trans que precisa organizar seu tempo-espaço para produzir, ser estar, ter saúde… Nunca me organizei a ponto de operar mesmo. ‘Pronto. Agora está marcado, vou operar!’. Até hoje não sei se não me organizei porque não estou pronta”, disse a famosa em bate-papo com Marília Gabriela no canal do YouTube de seu filho, Theodoro Cochrane.

Em seguida, ela falou sobre as dificuldades em ser mulher trans, principalmente numa sociedade que julga e não respeita as diferenças:

As pessoas são marginalizadas a todo instante. Objetificadas e marginalizadas. Isso é uma convenção. Eu me sinto na obrigação de discutir isso porque vejo que se não for por pessoas como eu, a discussão não vai abrir nunca. A gente não pode fechar os olhos à realidade. A brutalidade é gigantesca. Não são só estatísticas. A violência de morte assola a comunidade trans. E eu pontualmente me pergunto: por quê? Que direito uma pessoa se dá de me matar? O que endossa esse sentimento? Ódio (…) Precisamos desconstruir esses comportamentos de crueldade”.

Em conversa com Thiago Araújo, do Canal Pheeno, também no YouTube, a famosa falou também sobre seu processo de transição de gênero. Apaixonada pelo que faz, a loira revelou que a arte a ajudou nessa questão.

Fui gay antes de ser trans. Eu era uma ‘gayzinha fervidérrima’ e tinha muitos problemas existenciais, pessoais e mentais. Até que o teatro chegou um dia na minha vida e através dele fui instrumentando toda a minha existência”, revelou.

“Eu percebi que o papel que vivia era falso, cínico, fingido. Eu não era o protagonista da minha própria vida, era simplesmente um corpo morto, vivendo regras, hierarquias e medos“, afirmou Glamour Garcia, que está prestes a completar 19 anos de carreira.

Em tempo, a atriz ainda garantiu que não foi vítima de preconceito atrás das câmeras: “Não sofri transfobia nos bastidores da novela“, contou a atriz, que infelizmente não deixou de passar pelo julgamento alheio.

Eu costumo dizer que fui subjugada. Acho que algumas pessoas, em alguns momentos, achavam que eu não seria capaz de ser a grande atriz que eu sempre fui, que eu sou e jamais deixaria de ser. Fui pressionada horrores e essa pressão me evoluiu”, disse.

Confira:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Elson BarbosaElson Barbosa
Jornalista, especialista em Comunicação Organizacional, apaixonado por café, crônicas e um bom papo. Encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo.
Veja mais ›