Globoplay adia Cabocla e disponibiliza Felicidade e Kubanacan em dezembro

Kubanacan
Maitê Proença (Helena) em Felicidade; Marcos Pasquim (Esteban) em Kubanacan: novelas chegam ao Globoplay em dezembro (Imagens: Divulgação – João Miguel Júnior / Globo)

O Globoplay vai disponibilizar Kubanacan (2003), sucesso de Carlos Lombardi, em dezembro. A novela virá na sequência de Top Model (1989) e Felicidade (1991), próximos títulos do projeto que visa resgatar clássicos da Globo. A informação, via e-mail para anunciantes, causou surpresa, já que a trama exibida originalmente às 19h não constava na lista de produções prometidas pelo streaming por ocasião do lançamento de tal investida. E porque Cabocla (2004) havia sido “anunciada”, também por e-mail, para o próximo mês.

Consultada, a Comunicação do Globoplay informa que Felicidade e Kubanacan estreiam na plataforma em dezembro – dias 7 e 21, provavelmente. E que Cabocla virá “em breve”; ainda não há, porém, data estipulada para o lançamento do folhetim de Benedito Ruy Barbosa, atualizado pelas filhas Edmara e Edilene, no streaming.

Kubanacan ostenta uma das maiores audiências do horário das sete na década passada: 34,7 pontos. Mas, curiosamente, nunca ganhou reprise – talvez por conta dos problemas com o Ministério da Justiça e a Classificação Indicativa, causados por cenas de violência e / ou conotação sexual.

O enredo parte de Esteban (Marcos Pasquim), que desaba do céu no mar de Kubanacan, país subdesenvolvido dominado pelo militar Carlos Camacho (Humberto Martins). O homem misterioso, e desmemoriado, acaba acolhido por Marisol (Danielle Winits), que, anos depois, parte sozinha para a capital La Bendita. Esteban segue no encalço da companheira, envolvendo-se com as irmãs Lola (Adriana Esteves) e Rubi (Carolina Ferraz) e descobrindo inúmeras peças do quebra-cabeça de seu passado. Marisol, Lola e Rubi também se relacionam com Esteban (Vladimir Brichta).

A chegada de Kubanacan ao Globoplay vai de encontro ao desejo, adiantado em matéria da Folha de São Paulo, de “resgatar tantas obras quanto possível”. O streaming privilegiou, neste primeiro momento, produções com passagem recente pelo Canal Viva; a exceção foi A Favorita (2008), exaltada nas redes sociais tal qual a saga de Esteban.

Os lançamentos de Top Model e Felicidade também surpreenderam. É que os dois folhetins foram reapresentados no Viva antes do advento do Viva Play. Das 13 obras oferecidas na plataforma do Grupo Globo dentro do resgate de clássicos, 11 foram revistas no canal pago após 2016, quanto a plataforma on-demand de lá foi disponibilizada.

Kubanacan
Eduardo Yáñez (José Ángel) e Erika Buenfil (Victoria) em Amores Verdadeiros; trama é cotada para vaga de Quando me Apaixono no SBT (Imagem: Divulgação / Televisa)

O burburinho domina o Twitter: Amores Verdadeiros, novela que a Televisa exibiu em 2012 com grande sucesso – melhor índice da década às 21h –, está em processo de dublagem nos estúdios Rio Sound. A trama centrada na paixão de mãe e filha (Erika Buenfil e Eiza González) por seus respectivos seguranças (Eduardo Yáñez e Sebastián Rulli) é cotada para a vaga de Quando me Apaixono, que vem fazendo bem à audiência do SBT.

Tchau, mutantes!

A Record encerra a malsucedida reprise de Os Mutantes – Caminhos do Coração (2008) no próximo dia 17. O boletim de programação indica que Escrava Mãe (2016) vai dominar os dois horários destinados ao acervo da emissora, permanecendo no ar das 15h15 às 16h40. Com isso, o canal deve se livrar rapidamente da trama que, apesar dos muitos méritos, tem resvalado para a terceira colocação.

No último domingo (8), entrevistei a autora Paula Amaral em uma live do perfil Cenas da Teledramaturgia Brasileira. Paula relembrou o início da carreira na Globo, as muitas funções que ocupou em Malhação, o acerto de Cheias de Charme (2012) e Verão 90 (2019) – seu primeiro trabalho como titular – os bastidores de Geração Brasil (2014) e A Regra do Jogo (2015) e o novo modelo de parceria com a casa, com o fim do contrato fixo.

Confira:

 

Ver essa foto no Instagram

 

A trajetória profissional da roteirista nas telenovelas

Uma publicação compartilhada por Cenas da Teledramaturgia BR. (@cenasdateledramaturgia) em

CONTINUE LENDO →
Duh Secco

Duh Secco é  “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com