Há 30 anos estreava “Os Cavaleiros do Zodíaco – O Filme”, no Japão. No Brasil, o longa estreou há 23 anos, em 1995 (Imagem: Reprodução / YouTube)

“A Lenda dos Defensores de Atena” foi o primeiro longa-metragem de Saint Seiya (Os Cavaleiros do Zodíaco, no Brasil). O filme estreou nos cinemas japoneses no dia 23 de julho de 1988. Por aqui, a luta entre o deus Abel e os guerreiros de Atena debutou em 14 de julho de 1995.

Hoje vamos falar deste filme que, na minha opinião, é o melhor de toda a saga clássica por trazer à tona os Cavaleiros de Ouro, mortos na batalha das 12 Casas do Zodíaco. E aí, já sentiu o cosmo?

A seguir, 20 curiosidades:

1 – Conhecido no Brasil como “Os Cavaleiros do Zodíaco: O Filme”, a luta entre Abel, deus Sol, contra Atena, que defendia a Terra com seus fiéis cavaleiros, foi um grande sucesso nas telonas de todo o mundo, fazendo jus ao desenho que foi sensação na década de 1990.

Abel e Saori (Imagem: Reprodução / YouTube)

2 – O filme foi uma aposta da AB Films (Alberto Bitelli International Films), que trouxe-o para o Brasil na época. De acordo com o fórum CDZ, que entrou em contato com Marcelo Bitelli, filho do fundado da AB Films, “a empresa já estava observando a boa repercussão que o anime vinha tendo na Rede Manchete no final de 1994 e ele sabia do sucesso que já havia acontecido em países com México e França. Diante disso, ele foi até o Japão, em um feira do ramo de vídeo, e conversou diretamente com a Toei Animation. A ideia inicial era comprar os direitos dos 114 episódios e lançá-los diretamente em VHS, porém seria muito complicado por dois motivos: a quantidade de episódios e o fato de não existir ainda um mercado estabelecido de sell-thru (venda direta ao consumidor) no Brasil (vale lembrar que o mercado de rental, ou seja, de locações de fitas, já ia bem por aqui). Sendo assim, a
Toei Animation ofereceu os 4 filmes da série (Éris, Durval, Abel e Lúcifer), que foram aceitos de prontidão pela empresa brasileira. O investimento não foi pouco: cerca de 100 mil dólares (seria o equivalente a mais ou menos meio milhão de reais nos dias de hoje)”.

Pôster do filme (Imagem: Reprodução)

3 – O seriado animado “Saint Seiya” (Os Cavaleiros do Zodíaco, no Brasil) estava dando bons resultados para a TV Manchete tanto em termos de audiência quanto na venda de bonecos da Bandai. Por aqui, a venda dos ‘actions figures’ da linha Saint Cloth Series, foi iniciada 11 dias depois da estreia do desenho na TV, que aconteceu em 1 de setembro de 1994. A ideia era vender entre 80 mil e 100 mil unidades no Natal de 1994. Ocorre que no primeiro mês, vendeu-se todo o estoque. Diante desse mercado, a Samtoy, representante brasileira da Bandai, viu-se obrigada a desviar um carregamento de bonecos que seria destinado para a Espanha e México, para o Brasil. O investimento ficou avaliado em US$ 3 milhões para importar 400 mil bonecos a fim de atender a demanda daquele Natal. A empresa ainda teve que abrir mão do transporte de navio e alugar 17 aviões para comportar a demanda daquele final de ano.

Dohko, boneco do cavaleiro de Libra (Imagem: Reprodução)

4 – A dublagem ficou por conta da extinta Gota Mágica, produtora que dublou grande parte do desenho que passou na extinta TV Manchete.

5 – No cinemas do Brasil, “Os Cavaleiros do Zodíaco” entrou em 209 salas, marcando um recorde na época. Havia filas nas portas dos cinemas, crianças sentadas nas calçadas à espera da sessão começar. “Nunca um filme estreou no país ocupando tantas salas ao mesmo tempo e poucas vezes um longa-metragem infantil enfrentou concorrência tão feroz numa temporada de férias de julho”, disse a revista Veja de 19 de Julho de 1995.

6 – Dentro das salas, à espera do filme começar, os pequenos cantavam as músicas do desenho e torciam com as lutas que aconteciam no longa. Sobre o tema musical, de acordo com o portal CDZ, Marcelo Bitelli explicou: “o material recebido pela Toei Animation era muito escasso e eles foram obrigados a utilizar as poucas imagens que  tinham, sendo esta a mais chamativa para um pôster”.

7 – Abel e seus cavaleiros trouxeram grande trabalho aos defensores de Atena, mas levaram mais de meio milhão de espectadores aos cinemas em uma semana. Foram quase três meses em cartaz e “Cavaleiros do Zodíaco – O Filme” levou 1 milhão e 400 mil espectadores aos cinemas, conforme trouxe o jornal O Globo em 24 de Outubro de 2010.

Cartaz do Filme no Japão (Imagem: Reprodução)

8 – Ao sair de cartaz dos cinemas, a AB Films lançou o filme em fita VHS, em 22 de setembro de 1995. No embalo do sucesso, lançou o filme “Os Guerreiros do Armagedom – A Batalha Final”, longa em que os cavaleiros de Atena lutavam contra Lúcifer. Este não foi exibido nos cinemas, mas passou na TV Manchete em 26 de maio de 1996, ganhando da TV Globo em audiência. Anos mais tarde, em 19 de setembro de 2007, o longa ganhou novo licenciamento, pela PlayArte e dublagem pela Dubrasil. Por conta disso, ganhou novo título e se tornou “A Lenda dos Defensores de Atena”.

Capa da fita VHS do filme “Os Guerreiros do Armagedom – A Batalha Final” (Imagem: Reprodução)
Jornal O Globo e o sucesso de Os Cavaleiros do Zodíaco (Imagem: Reprodução)

9 – O filme não se encaixa na cronologia do mangá nem da saga clássica, exibida pela TV Manchete, inicialmente. “A Lenda dos Defensores de Atena” traz o retorno lendário de Abel, deus do Sol, que pretende tomar a Terra e punir os humanos por conta de tantas catástrofes que promoveram ao planeta. Para isso, Abel reúne seus Cavaleiros da Coroa do Sol: Jaô de Lince, Berengue de Coma de Berenices e Atlas de Carina. Além destes, Abel ressuscita os Cavaleiros de Ouro que morreram na batalha das Doze Casas: Saga de Gêmeos, Máscara da Morte de Câncer, Shura de Capricórnio, Camus de Aquário e Afrodite de Peixes.

Camus e Saga reviveram pelos poderes de Abel (Imagem: Reprodução / YouTube)
Máscara da Morte, Shura e Afrodite foram ressuscitados por Abel (Imagem: Reprodução / YouTube)

10 – Diante de tal ameaça, Saori Kido percebe que não terá forçar para lutar contra o poder de Abel, seu irmão mitológico. Tramanto um plano, Saori tenta vencer Abel por força própria sem envolver seus cavaleiros – Seiya de Pégasus, Shiryu de Dragão, Hyoga de Cisne e Shun de Andrômeda, além de Ikki de Fênix que sempre chega para defender o irmão, Shun, entrando de maneira triunfal.

Abel matou Saori (Imagem: Reprodução / YouTube)

11 – Sem poder compatível, Saori é assassinada por Abel e sua alma é encaminhada ao mundo dos mortos, o Yomotsu, o abismo da morte. Com o corpo de Saori nos braços, Abel é questionado por Camus e Shura, que juraram sua lealdade ao deus Sol. Aquário e Capricórnio, no entanto, são eliminados por Jao e Atlas por conta de sua rebeldia em defesa de Atena.

12 – Sem saber o que estava acontecendo, Seiya parte para o Santuário em busca de Saori, mas Atlas atravessa seu caminho e informa sobre a morte da deusa. Desesperado, Seiya leva uma surra e cai desmaiado, esperando a morte, pois a vida não tem mais sentido para ele, sem Atena.

Seiya luta contra Atlas e é derrotado na primeira luta (Imagem: Reprodução / YouTube)

13 – Enquanto isso, Shun (com aquela clássica ajuda de Ikki de Fênix) e Shiryu enfrentam Afrodite de Peixes e Máscara da Morte, respectivamente, em um revive da Saga das Doze Casas, quando cada cavaleiro enfrentou tal dourado. Por fim, Câncer e Peixes são derrotados, mas Atlas está por trás, para eliminar os cavaleiros de bronze. Antes de tropeçar em Afrodite, Andrômeda cai de um desfiladeiro e é salvo por Shiryu, dizendo aquela clássica frase que virou meme entre os fãs de CDZ: “Shiryu, amigo”.

14 – Saga, mesmo do lado de Abel, aproveita o momento de derrota de Seiya par dar aquela lição de moral em Pégasus. É nesta parte que o filme sem seu clímax. Assista!

15 – Enquanto isso, Hyoga e Berengue travam uma batalha que mexe com sentimentos, família e deuses.

16 – Já na reta final, os cinco cavaleiros de Atena chegam ao Templo da Coroa do Sol, onde Abel está. Para recebê-los, Atlas dispara seu poder máximo, “Coroa de Fogo”, e derruba todos os cavaleiros de uma só vez. Mas o que o defensor de Abel não sabia era que Camus, morto na batalha, junto com Aiolos de Sagitário e Mestre Ancião, defensor do signo de libra, mandariam suas armaduras para Seiya, Shiryu e Hyoga. Dessa forma, Sagitário, Libra e Aquário estavam em pé de novo sob o poder dos cavaleiros de ouro. Com esse plus, Atlas não foi páreo para os guerreiros de Atena. Abel seguia sendo seu último inimigo.

Shun, carregando Ikki, defende Hyoga contra Atlas (Imagem: Reprodução / YouTube)
Hyoga, Seiya e Shiryu com as armaduras de ouro (Imagem: Reprodução / YouTube)
Hyoga, Seiya e Shiryu com as armaduras de ouro (Imagem: Reprodução / YouTube)
Seiya vence Atlas (Imagem: Reprodução / YouTube)

17 – Dentro do templo, Abel apreciava o cadáver de Atena. Lembrando-se das palavras de Saga, Seiya entendeu que precisava quebrar o cosmo de Abel que guiava Saori para o mundo dos mortos.

18 – De posse da armadura de Sagitário, Seiya mira sua flecha contra Abel na tentativa de matá-lo.

Abel (Imagem: Reprodução / YouTube)
Seiya mira a flecha de Sagitário contra Abel (Imagem: Reprodução / YouTube)
Seiya tenta matar Abel com a flecha de Sagitário (Imagem: Reprodução / YouTube)

19 – Com a morte de Abel, o Templo da Coroa do Sol começa a demolir por conta da ausência do cosmo de Abel. Resta pouco tempo para que os guerreiros de Atena saiam do local sem que os escombros caiam sobre todos.

Com a morte de Abel, o Templo da Coroa do Sol comera a ruir (Imagem: Reprodução / YouTube)

20 – Abaixo, segue um resumão de todas as lutas e do filme, “A Lenda dos Defensores de Atena”.

“Os Cavaleiros do Zodíaco” traz mensagens de companheirismo, força, garra e perseverança por meio de suas frases ditas em momentos de dificuldades, lutas e decisões que, trazendo para  vida atual, servem de lições em nossos momentos mais complicados. Serve de inspiração para que, em nossas “lutas diárias”, possamos vencer nossos obstáculos.

_____________________________________________

Reuber Diirr é jornalista formado pela Universidade Federal do Espírito Santo com especialidade no entretenimento de TV. Atuante em sites sobre Televisão, Reuber já passou por emissoras como a Record News Espírito Santo e a TV Gazeta, afiliada da Globo no ES. Curioso e ligado em assuntos nostálgicos, Reuber trará temáticas que relembrarão os meandros da televisão brasileira na coluna “TV Nostalgia”, publicada aos domingos no RD1. Siga-o no Twitter, Instagram, Facebook, Snapchat e YouTube em @reuberdiirr.

_____________________________________________

Saiba Mais:

Chapolin Colorado: desastrado ou anti-herói? Descubra algumas curiosidades do seriado mexicano

Relembre 10 programas infantis que marcaram os anos 1980 e 1990 na TV brasileira

Confira 20 bordões que deram o que falar nas novelas brasileiras

Veja 14 personagens que saíram dos desenhos para a vida real

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Está opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!