Intercine, é você? Globo busca anunciante para resgatar votação em sessão de filmes

Globo
Jennifer Grey e Patrick Swayze em Dirty Dancing – Ritmo Quente; Sessão de Sábado mantém linha nostálgica em novo formato proposto pela Globo para anunciantes (Imagem: Reprodução / IMDB)

Quem viveu a década de 1990, certamente guarda lembranças do Intercine. A sessão de filmes na qual o público da Globo escolhia o título que queria ver por meio de ligações telefônicas será retomada, de certa forma, na temporada 2022 da Sessão de Sábado.

A emissora busca anunciantes para viabilizar o formato interativo da faixa que serve de “sala de espera” para o Caldeirão com Marcos Mion.

Em plano distribuído para o mercado publicitário, a Globo informa que a Sessão de Sábado poderá ter votação patrocinada para a escolha do filme. A decisão, porém, vai se dar por meio de enquete no Gshow – com a marca em destaque, óbvio.

O pacote inclui ações voltadas para a interatividade dentro do É de Casa, bem como chamadas com QR Code para levar o telespectador até o portal.

Os longas-metragens, porém, devem seguir a linha nostálgica adotada recentemente. Certa do engajamento de produções como E.T. – O Extraterrestre (1982) e Dirty Dancing – Ritmo Quente (1987), a Globo preparou também merchandisings no estilo Flock To Unlock – rebanho para desbloquear, em tradução literal.

Neste formato, o anunciante só libera benefícios como cupons de desconto e frete grátis quando uma meta de tweets e comentários com a tag da Sessão de Sábado é atingida.

Com tais investidas, o canal busca ampliar os rendimentos da faixa. É este mesmo objetivo pode acarretar em um novo nome para o Supercine, clássica sessão das madrugadas de sábado para domingo. O modelo “naming rights” permite que o patrocinador associe sua marca ao programa, como no Festival Rexona de Cinema.

O acerto conta, inclusive, com a possibilidade do “dono” do Supercine escolher as produções exibidas, privilegiando aquelas que se afinam com os valores da empresa.

Prepara a pipoca!

O cinema 2022 na Globo deve contar com êxitos recentes de bilheteria. Estão previstas as exibições, inéditas na TV aberta, de Aquaman (2018), As Panteras (2019), Como Treinar seu Dragão 3 (2019), Coringa (2019), John Wick – Um Novo Dia para Matar (2017), MIB – Homens de Preto Internacional (2019), Mulheres ao Poder (2020), O Ódio que Você Semeia (2018), O Rei do Show (2017), Projeto Gemini (2019), Sexy por Acidente (2018) e Velozes & Furiosos – Hobbs & Shaw (2019).

Nota 10

Andrea Beltrão tem se saído muito bem em seu retorno às novelas. Rebeca, um dos destaques de Um Lugar ao Sol, dá à atriz a possibilidade de explorar as muitas facetas de uma mulher de meia-idade, coisa que outras tramas não permitiram para as personagens e, muito menos, as intérpretes.

Rebeca padece com o casamento em crime sem o tom lacrimejante de tipos da mesma linha que a antecederam. Também vislumbra possibilidades de relacionamento sem apelar para a linha “cinquentona fogosa e desesperada” de folhetins que vieram antes do atual.

Comodismo

Carinha de Anjo (2016) atingiu seus melhores índices de audiência na última semana – com a baixa de Um Lugar ao Sol na Globo. O que deve levar o SBT a optar pela manutenção da reprise entre 20h30 e 22h30, deixando a anunciada mexicana Se Nos Deixam para as Novelas da Tarde.

Mais uma amostra do comodismo da estação de Silvio Santos que parece, cada dia mais, se contentar com as sobras nos números. Não há movimento na Anhanguera que indique ao menos uma tentativa de repaginar a grade ou pensar além do óbvio.

MAIS LIDAS

Curto-Circuito, por Luiz Fábio Almeida
A coluna Curto-Circuito é assinada por Luiz Fábio Almeida, editor-assistente do RD1, e reúne, de terça a sábado, no início da tarde, o que é e vai virar notícia nas próximas horas envolvendo os movimentados bastidores da TV.
Veja mais ›