Jornalista da Record debocha de Bolsonaro e viraliza; post é censurado e retirado do ar

Bolsonaro
Bolsonaro foi criticado por jornalista do R7 e postagem viralizou (Imagem: Reprodução / RedeTV!)

A Record é uma das emissoras abertas mais próximas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No entanto, uma atitude envolvendo o canal na internet, nos últimos dias, pegou a todos de surpresa.

Isso porque o jornalista Guto Ferreira, do portal R7, que faz parte do grupo comandado pela Record, fez uma pegadinha em sua coluna do último domingo (14). No título de um texto, ele escreveu: “10 motivos para você apoiar a reeleição do presidente Bolsonaro”

No texto da chamada, que é conhecido no jornalismo como “linha fina”, ele ainda declarou: “Muitos se perguntam quem apoiar nas eleições 2022. Vamos então nos apegar às evidências, fatos e resultados para orientar melhor você, leitor brasileiro”.

Porém, no artigo, o jornalista surpreendeu: “Se você abriu esta matéria, lamento. Não existem motivos. Assim como não existem Duendes ou o Papai Noel. Fim”.

“É simplesmente o pior governo desde a redemocratização do país. Boa semana para todos”, completou Guto Ferreira, como uma forma de crítica ao presidente da República.

A atitude deu o que falar nas redes sociais, principalmente por causa da boa relação que a direção da Record vem mantendo com Bolsonaro desde as eleições de 2018.

“Possivelmente esse jornalista será demitido da Record! Um, pela brincadeira inapropriada. Dois, pelo desrespeito a uma autoridade. Três, por gerar desgaste desnecessário entre a empresa com o governo. Quatro, por fazer a empresa perder apoiadores”, disparou um internauta.

Outro usuário do Twitter comentou: “É isso mesmo? É a Record saindo à francesa? Que piada é essa”. “Ué, o casamento com a Record acabou?”, questionou um terceiro.

Publicação retirada do ar

A matéria de Guto Ferreira acabou repercutindo muito nas redes sociais. Depois de viralizar, a Record optou por deletar o texto do seu portal de notícias. O jornalista, no entanto, foi pego de surpresa.

Em resposta a seguidores no Twitter, ele declarou: “Infelizmente tiraram a matéria do ar. E estou aguardando posicionamento do site sobre ser ou não um ‘problema técnico’ apenas na minha coluna. Se não retornar é porque foi censura a pedido do palácio mesmo”.

“Infelizmente censuraram e tiraram do ar a matéria. Sem nem ao menos me comunicar”, comentou o jornalista a outro internauta.

Minimizou fake news

No mês passado, o canal do bispo Edir Macedo decidiu não explorar uma grande polêmica envolvendo Bolsonaro. O Jornal da Record dedicou apenas 40 segundos para citar a live em que o presidente associou as vacinas contra a Covid-19 a AIDS, a repercussão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), e também falar da punição das redes sociais.

A citação ao caso envolvendo o chefe do Executivo foi feita dentro de uma matéria sobre a CPI da Covid. Certamente com medo de criar qualquer rusga com o Governo Federal, a Record declarou apenas que a “informação não tem respaldo científico”.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›