Juliette homenageia irmã que morreu aos 17 anos de AVC

Juliette
Juliette falou sobre a perda da irmã, quando tinha apenas 17 anos (Imagem: Reprodução / Arquivo Pessoal)

A ex-BBB Juliette Freire usou as redes sociais nesta sexta-feira (02) para homenagear sua irmã, Julienne, que morreu há 14 anos, quando tinha apenas 17 anos, vítima de um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Nos stories, a advogada compartilhou uma foto e escreveu:

“Era dia 02/07 e você virava uma estrela. Prometi que te faria sorrir. Espero que esteja orgulhosa. Você vive em mim!”.

Ainda na rede social, a maquiadora revelou que os admiradores lhe presentearam com uma surpresa especial. “Quero muito agradecer aos meus fãs que não me largam um minuto, inclusive, a minha irmã ganhou uma estrelinha com o nome Eninha… Foi registrado lá. A coisa mais linda do mundo! Agora é literalmente uma estrela e segue lá, olhando por mim. Eu amo muito vocês, obrigada!”, contou.

Durante sua participação no Encontro, nesta sexta (02), Juliette disse que vive a vida com senso de finitude, como se não houvesse amanhã:

“A minha vontade é de resolver tudo hoje, de não deixar nada para amanhã. Com a idade, hoje sou uma jovem senhora de 31 anos, isso melhorou. Mas a morte da minha irmã acentuou esse traço. Já não vejo mais a perda dela com tristeza, mas com gratidão, por ter vivido 17 anos ao lado dela. Eu me prometi que viveria por mim e por ela. Julienne se foi, mas eu fiquei e o meu propósito é lhe dar muito orgulho, uma promessa que segue comigo todos os dias”.

Minha irmã tinha uma compreensão da vida que me impressionava. Eu sempre fui muito protetora, a ponto de ela me chamar de ‘irmãe’. Ela é uma das coisas mais lindas que vivi, preciso falar sobre ela, preciso que ela esteja presente na minha vida, é parte importante de mim“, completou.

Em entrevista ao Extra, Washington Feitoza, irmão mais velho da advogada, contou que ela tomou a frente de tudo após a partida precoce da irmã:

“Ela teve uma força que a gente nem sabe de onde tirou. As duas eram muito ligadas. Desde pequenas viviam quase como gêmeas. Juliene tinha uma vontade de viver, de batalhar pelas coisas… E acho que depois da morte dela, Juliette teve mais sede de lutar pelo que queria. Ela não se abate, já que na doença de nossa irmã, definhou. Ia para o hospital todos os dias, não comia, vivia para Julienne. Agora, ela vive para ela da melhor forma possível”.

Guinho Santos
Guinho Santos é formado em Jornalismo e escreve sobre o universo das celebridades há dez anos. Reality show, bastidores da TV e novelas também são seus pontos fortes. Além disso, possui experiência como Social Media e apresentador. Seu canal na web é através do Instagram @guinhosantos__.
Veja mais ›