Marco Ricca desabafa sobre retorno às novelas após enfrentar Covid

Marco Ricca
Marco Ricca abriu o jogo sobre fase delicada (Imagem: Fabio Rocha / Globo)

Marco Ricca se prepara para retornar às novelas. O ator vai integrar o elenco da próxima novela das 21h, Um Lugar ao Sol, a qual vai interpretar Breno, um homem frágil que é dominado pela mulher e acaba se apaixonando por uma médica.

Em entrevista à colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, o artista falou sobre o papel no folhetim:

“Breno é um fotógrafo de publicidade e a mulher, dona de uma agência. Ela é superforte. Ele, mais frágil. Não digo fracassados, mas ela sempre foi um trator na vida dele. Ele se apaixonou por essa força. Ele tem o sonho de parar com a publicidade para fazer da fotografia um movimento de arte. Mas ela querer uma vida sólida e rica. Essa diferença fica grande. O casamento está em crise. E os dois tentam ter filhos. Ilana é indicada a uma obstetra (Natália Lage). Elas era amigas de infância e vão se reencontrando. Acabam vivendo um grande amor. É bonito de ver. E ele encontra um novo par no fim”.

Ricca comentou ainda o fato de ter vencido a Covid-19, no ano passado. “Eu tive outros problemas, mas esse negócio mexe com tudo. Desestabiliza. Algumas pessoas da novela contraíram esse troço e encararam firmemente. Eu encarei, não digo firmemente. Não estava inviável, mas também não 100%. Tinha que honrar o compromisso com pessoas tão queridas que conheço há tantos anos. Se não trabalhasse, seria pior“, disse, completando:

“Sou sortudo, privilegiado, com um plano de saúde sensacional. Quando saí do hospital com vida, saí grato. Feliz não dava, com tanta gente morrendo. Vou me recuperando dia a dia com ajuda médica. Imagino as pessoas que sobreviveram e são jogadas ao léu. Porque isso tudo não para na sobrevivência. Tem uma extensão bastante grande. É um pesar”.

Questionado se ainda continua fazendo tratamento, o ator revelou: “Tem fisioterapia durante muito tempo, tratamentos variáveis… A pessoa fica com muita sequela. Não vou dizer que estou 100%. Não estava nem antes da Covid“.

Ricca ainda deixou claro que não pensou em coisas ruins no momento em que esteve doente. “Você é tão drogado ali. Eu, que fui intubado, extubado e intubado de novo, penso em quem não tinha kit intubação. É tortura medieval. Saí com drogas fortes, que aceleram. Você fica meses no delírio provocado por remédios. E vai desmamando. Não sou super-homem. Com privilégios fica mais fácil”, explicou.

Quanto aos próximos projetos, após a trama global, Marco adiantou:

“Vou gravar uma série do Globoplay e estou lançando filmes. ‘Lamento’ eu amo. De dois jovens (Diego Lopes e Claudio Bitencourt) que batalham pelo cinema. Triste o que aconteceu na pandemia. Faltou a imprensa dar força, reverenciar. Não é paternalismo. Assista ao filme, fale mal, mas dê espaço. Neste momento é importante. O governo está destruindo a cultura”.

“E tem o ‘Paterno’, que se passa no Recife, com outra garotada e baixo orçamento. Eu batalho para fazer também. Tiro o mínimo que podem dar. É a história de uma família dona de empreiteiras do Recife. Até que o pai falece. Faço o papel de um arquiteto, filho dele, que quer reconstruir a coisa de outro jeito“, finalizou.

MAIS LIDAS

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›