Ministro, marido de Patricia Abravanel defende Bolsonaro, ataca imprensa e minimiza 500 mil mortes da Covid

Fábio Faria
Ministro, marido de Patricia Abravanel defende Bolsonaro, ataca imprensa e minimiza 500 mil mortes da Covid (Imagem: Reprodução / Twitter)

O Brasil chegou ao nível inacreditável de 500 mil mortes pela Covid-19 e os noticiários logicamente abordaram essa notícia catastrófico. Alheio à realidade, Fábio Faria — que é Ministro das Comunicações — criticou a imprensa, defendeu Jair Bolsonaro e relativizou dados para minimizar esse índice de vidas perdidas.

Em seu perfil do Twitter, na tarde deste sábado (19), o também marido de Patrícia Abravanel inverteu a narrativa e deixou claro que o número de vacinados e o total de recuperados são mais importantes a se noticiar:

Em breve vocês verão políticos, artistas e jornalistas ‘lamentando’ o número de 500 mil mortos. Nunca os verão comemorar os 86 milhões de doses aplicadas ou os 18 milhões de curados, porque o tom é sempre o do ‘quanto pior, melhor’. Infelizmente, eles torcem pelo vírus”.

Um internauta contestou o ministro do governo Bolsonaro em resposta, apontando os erros nessa abordagem: “Porque vidas não voltam. Se você acha que 500 mil delas são dispensáveis o sangue está nas suas mãos. Porque contra o H1N1 o Brasil aplicou 80 milhões de vacinas em 3 meses e contra COVID recusou 150 milhões de vacinas… E 18 milhões de curados é só mentira”.

Outra tuiteira reclamou da postura de Fábio na rede social: “Para o ministro das Comunicações, momento em que o Brasil registra 500 mil mortes pela Covid-19 deveria ser de comemoração”. Ele negou a acusação:

Oi? Não sabe interpretar aspas? Todos os brasileiros sofrem com a pandemia e é criminoso você escrever isso. Só que uns trabalham pra combater a pandemia e outros para colocar tudo na conta do presidente. Não distorça o que eu falei porque ngm celebra morte de ninguém”.

O político ainda dirigiu críticas ao governo de São Paulo, de João Dória, que por sinal é um dos críticos fieis de Jair Bolsonaro e da política negacionista durante a pandemia do novo coronavírus:

100 mil de mortes no estado de São Paulo, silêncio sepulcral. Quando esses números dos estados se somam e se chega a um número nacional, estardalhaço. Lembremos que os estados e municípios tinham e têm total autonomia nas medidas da Covid. Perdi um tio no mês passado e vários amigos. Mas nada disso importa, o que existe é uma tentativa coordenada de colocar tudo na conta do Bolsonaro e minimizar todo o trabalho e os esforços do governo federal para o combate da pandemia”.

Confira:

Matheus Henrique MenezesMatheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›