Mônica Martelli abre o jogo e revela detalhes de projetos deixados por Paulo Gustavo

Mônica Martelli
Mônica Martelli revelou o que humorista estava preparando (Imagem: Reprodução / Instagram)

Mônica Martelli relembrou a perda do amigo Paulo Gustavo, que morreu há cinco meses, vítima de Covid-19. Em entrevista ao podcast Caldinha Larga, a atriz falou sobre o fato de sua irmã, Susana Garcia, ter acompanhado de perto o humorista enquanto ele esteve internado:

“Ela não é ativa no Instagram. Ela só foi mais ativa na época do Paulo Gustavo porque ela é médica, trabalhou como médica durante muito tempo. Deu aula de Medicina, inclusive, de imagem e de ultrassom. Então, ela tem todo esse saber médico que nos ajudou muito na época de Paulo Gustavo doente”.

Mônica contou que a diretora chegou a criar um grupo no celular para manter familiares e amigos informados sobre o estado de saúde do humorista.

Ela ia lá (ao hospital) todo dia. Quando ele foi intubado, ela estava do lado dele, de mãos dadas. Nossa Senhora… Paulo Gustavo e Susana foi um encontro de amor. Ali, assim… É uma viúva. Ali foi um encontro de paixão e amor o que eles tiveram. Depois ficou mais com ela do que comigo. Até porque eu vim morar em São Paulo e ela no Rio. Eles se falavam 15 vezes por dia, se viam todos os dias… Estava muito grudados“, disse.

E ela dirigia tudo dele, né? O filme, a série que ele ia fazer na Globo agora, o programa que ele ia fazer na Amazon… Tudo! Tudo!“, revelou. Mônica contou que Susana manteve amizade com a mãe de Paulo, Déa Lúcia: “Ela consegue ter mais contato. Eu estou em São Paulo e fico mais afastada. Mas a gente se fala sempre. Conseguiu manter uma família“.

Martelli confessou ainda que foi sua irmã quem a ajudou quando ela teve que lidar com três abortos que sofreu ao longo da vida:

“(Na terceira gestação) fui até três meses e meio , já estava superfeliz. ‘Agora vai rolar’ (…) Eu estou lá. Susana começou a fazer a ultrassom em silêncio. Eu falei: ‘O que está acontecendo?’.’ E ela continuou em silêncio. Acho que é uma forma de você ajudar o paciente, de a ficha ir caindo naquela cadeira. Você vai tipo… Começando a dar uma coisa gelada dentro, o coração acelerar (…) Você ainda não ouviu a resposta, mas já está ali caminhando para aquilo”.

Ela virou e falou: ‘Mônica, ainda não vai ser dessa vez’. Dá vontade de chorar de novo. Eu chorei… Fui andando (de Botafogo) até o Leblon. Eu pensava: ‘Cara***, eu queria muito esse bebê’. Foi quando minha mãe falou para mim: ‘Minha filha, lá na frente um dia você vai entender o porquê dessas três perdas’. A vida se impõe, e é isso, caminha“, explicou.

Guinho Santos
Guinho Santos é formado em Jornalismo e escreve sobre o universo das celebridades há dez anos. Reality show, bastidores da TV e novelas também são seus pontos fortes. Além disso, possui experiência como Social Media e apresentador. Seu canal na web é através do Instagram @guinhosantos__.
Veja mais ›