Mônica Martelli chora na Globo e diz que não consegue ver filmes com Paulo Gustavo

Mônica Martelli
Mônica Martelli revelou que não consegue ver filmes com Paulo Gustavo (Imagem: Reprodução / Globo)

Mônica Martelli foi a convidada de um dos quadros do É de Casa, deste sábado (18), e relembrou os bons momentos vividos ao lado de Paulo Gustavo, que morreu por conta das complicações causadas pela Covid-19 em maio deste ano.

“Minha vida hoje é uma vida antes e depois, porque você tem que inventar uma vida sem aquela figura que era tão presente na sua vida”, disparou a artista, que fez parceria com o famoso em vários trabalhos.

A apresentadora ainda comentou na Globo: “Uma pessoa como PG, com a personalidade que ele tinha, e o tamanho que ele ocupava na minha vida, a gente tinha muitos projetos juntos”.

Mônica Martelli, então, relembrou alguns trabalhos com Paulo Gustavo, como no filme Minha Vida Em Marte, e admitiu que não consegue mais ver os filmes que fez ao lado do amigo.

“É diariamente tentar que a dor não seja maior que a alegria que foi ele foi ter feito parte da minha vida. Ter tido a convivência que eu tive com um cara como PG, que foi um gênio, foi um privilégio que eu vivi”, destacou.

Em junho, um mês após o falecimento do amigo, ela homenageou Paulo. Em suas redes sociais, ela compartilhou um vídeo de um momento descontraído ao lado do humorista e, na legenda, desabafou:

“Inacreditável talvez seja a palavra que resume bem o que foi esse mês. 1 mês sem meu amigo. É inacreditável que o Paulo Gustavo tenha partido, que já faça tanto tempo e que a gente ainda não está nem perto de entender o que é a vida sem ele. Paulo está presente em tudo do meu dia, como sempre foi em vida”.

“Eu penso no que ele falaria, no que ele faria sobre qualquer situação. Mas o que antes era motivo de gargalhadas, agora traz dor. A dor de só imaginar o que ele poderia estar fazendo naquele momento. A dor dessa oportunidade da vida, da família, do afeto, que lhe foi tirado”, disparou.

A atriz falou ainda sobre como tem sido difícil viver sem a presença do amigo: “Ainda me dói, Paulo Gustavo. Suas lembranças são um misto de alegria e dor. Está sendo assim há 1 mês. Eu não quero me sentir dessa forma porque você nunca foi dor. Esse é o maior ensinamento que você nos deixou. Cada dia é único, cada oportunidade é única e cada pessoa é única. Por isso você amava sua família, amigos e público com tanta fervorosidade, porque entendia muito do que era estar vivo. Vou te amar pra sempre, meu amor!”.

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›