Netflix revela planos para novelas no Brasil após sucesso de produções mexicanas

Netflix
Netflix está planejando produzir novelas brasileiras (Imagem: Divulgação / Netflix)

Quanto mais novela, melhor! Este parece ser o lema dos brasileiros que, em meio às edições especiais, aos títulos disponíveis em diferentes plataformas e à expectativa para tramas inéditas, aguardam também por investidas do gênero em serviços de streaming. A coluna Curto-Circuito procurou Netflix, Amazon Prime Video, Disney+ e HBO Max para saber se há, de fato, este movimento em prol das novelas.

A Netflix já deu sinais claros de que vai investir em folhetins. Francisco Ramos, vice-presidente de Conteúdo da plataforma na América Latina, adiantou a intenção em entrevista a Daniel Palomares, do Splash UOL. Em nota exclusiva para a coluna, o streaming reafirma a investida, sem entrar, contudo, em detalhes quanto a contratados e o consequente início dos trabalhos.

“Produzimos histórias de diversas nações e culturas para os mais de 190 países em que estamos presentes. E temos uma jornada de 10 anos na América Latina e de 5 anos no Brasil, produzindo conteúdo nacional. Nesta trajetória, acompanhamos a evolução nos hábitos de consumo audiovisual do brasileiro, também atentos à cultura local, para trazer as melhores histórias nacionais a partir de uma variedade de gêneros e formatos, para os mais diversos gostos e estados de espírito e que gerem envolvimento emocional com nossos assinantes”, relembra.

O serviço afirma buscar por identificação entre os assinantes e as produções oferecidas: “O novo olhar e a nova relação que o brasileiro vem estabelecendo com conteúdo mexicano a partir de nossos títulos de dramaturgia são prova disso. Nesse sentido, sabemos que novelas fazem parte destes hábitos de entretenimento e da cultura nacional. Nossos planos para o formato no Brasil estão focados em atender o nosso consumidor e ao fã de novela, que gosta de assistir a uma boa história independentemente de lugar e hora”.

Por “conteúdo mexicano”, citado no comunicado, entenda-se tramas como A Rainha do Tráfico e Quem Matou Sara?. “Em paralelo, seguiremos com a oferta dos conteúdos preferidos dos nossos assinantes, nacionais e globais, em diferentes formatos e gêneros”, completa a Netflix, que também disponibiliza as brasileiras Carrossel (2012), Chiquititas (2013) e As Aventuras de Poliana (2018), do SBT.

Em tempo

O Amazon Prime Video, que oferece títulos da Televisa – casos de Teresa (2010) e O Que a Vida me Roubou (2013) –, respondeu à coluna que “não há informações oficiais sobre produção de novelas”. Disney+ e HBO Max não retornaram.

Cofre

O Grupo EP, responsável pela EPTV, afiliada da Globo no interior de São Paulo e no Sul de Minas, promoveu nomes do departamento comercial logo no início deste segundo semestre. André Giron é o novo diretor da área, que, nos últimos tempos, vem avançando com formatos ligados às ações publicitárias, como os produtos utilizados no Churrasqueadas e a parceria do Mais Caminhos com uma rede de supermercados.

Vacina sim

Os resultados da vacinação em Serrana, interior de São Paulo, terão destaque no documentário Serrana – Uma Ilha de Imunidade, que a TV Cultura exibe neste sábado (17), às 20h. Trata-se da primeira cidade brasileira a atingir a imunização de 75% dos habitantes – graças, principalmente, ao estudo do Instituto Butantan com a Coronavac. A taxa de mortalidade por lá é baixíssima, com queda em torno de 95% nos casos fatais.

MAIS LIDAS

Duh Secco e Luiz Fábio Almeida
A coluna Curto-Circuito é assinada por Duh Secco e Luiz Fábio Almeida, editores-assistentes do RD1 e reúne, de terça a sábado, logo cedinho, o que é e vai virar notícia nas próximas horas envolvendo os movimentados bastidores da TV.
Veja mais ›